Parte da propina a Cabral pode ter sido paga em jóias para sua esposa

Uma das linhas de investigação do Ministério Público sobre as propinas pagas ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), é de que ele pode ter recebido através de jóias para a sua esposa, Adriana Ancelmo; segundo o empreiteiro Fernando Cavendish, da Delta, em sua proposta de delação premiada, em um dos pagamentos a Cabral foi acrescida um anel de brilhante solitário de 220 mil euros, ou 800 mil reais –, que o ex-governador o fez comprar em uma viagem a Mônaco, em 2009

Uma das linhas de investigação do Ministério Público sobre as propinas pagas ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), é de que ele pode ter recebido através de jóias para a sua esposa, Adriana Ancelmo; segundo o empreiteiro Fernando Cavendish, da Delta, em sua proposta de delação premiada, em um dos pagamentos a Cabral foi acrescida um anel de brilhante solitário de 220 mil euros, ou 800 mil reais –, que o ex-governador o fez comprar em uma viagem a Mônaco, em 2009
Uma das linhas de investigação do Ministério Público sobre as propinas pagas ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), é de que ele pode ter recebido através de jóias para a sua esposa, Adriana Ancelmo; segundo o empreiteiro Fernando Cavendish, da Delta, em sua proposta de delação premiada, em um dos pagamentos a Cabral foi acrescida um anel de brilhante solitário de 220 mil euros, ou 800 mil reais –, que o ex-governador o fez comprar em uma viagem a Mônaco, em 2009 (Foto: Valter Lima)

247 - Uma das linhas de investigação do Ministério Público sobre as propinas pagas ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), é de que ele pode ter recebido através de jóias para a sua esposa, Adriana Ancelmo. Segundo o empreiteiro Fernando Cavendish, da Delta, em sua proposta de delação premiada, em um dos pagamentos a Cabral foi acrescida um anel de brilhante solitário de 220 mil euros, ou 800 mil reais –, que o ex-governador o fez comprar em uma viagem a Mônaco, em 2009.

"O anel de Cavendish é apenas uma das estrelas da caixa de joias de Adriana Ancelmo. Não foi sequer declarado à Receita Federal quando ela e o então governador retornaram ao Brasil. Pela lei, quem entra no país com bens de valor superior a 500 dólares, deve necessariamente pagar 50% de imposto. Só aí, teriam sido sonegados em torno de 110 mil euros aos cofres públicos brasileiros. Há provavelmente muito mais. Adriana Ancelmo ostenta no dia a dia de trabalho um brinco de brilhantes que vale cerca de 400 mil reais, e será objeto de investigação. Outro xodó é um anel que ela ganhou de aniversário em 2011, desta vez não de Cavendish, mas do marido", informa a jornalista Malu Gaspar, da Piauí.

Leia mais aqui.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247