Pedro Paulo e filho de Cabral vão a Brasília votar pelo impeachment

Deputados federais licenciados pelo PMDB Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, e Pedro Paulo Carvalho, braço direito do prefeito do Rio, Eduardo Paes, retomam o mandato e desembarcam a partir de quinta-feira em Brasília para votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; maioria do PMDB fluminense deve apoiar o afastamento da presidente; entre os resistentes estão o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, que reassumirá o mandato para votar contra o impeachment, e o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani

Deputados federais licenciados pelo PMDB Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, e Pedro Paulo Carvalho, braço direito do prefeito do Rio, Eduardo Paes, retomam o mandato e desembarcam a partir de quinta-feira em Brasília para votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; maioria do PMDB fluminense deve apoiar o afastamento da presidente; entre os resistentes estão o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, que reassumirá o mandato para votar contra o impeachment, e o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani
Deputados federais licenciados pelo PMDB Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, e Pedro Paulo Carvalho, braço direito do prefeito do Rio, Eduardo Paes, retomam o mandato e desembarcam a partir de quinta-feira em Brasília para votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; maioria do PMDB fluminense deve apoiar o afastamento da presidente; entre os resistentes estão o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, que reassumirá o mandato para votar contra o impeachment, e o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (Foto: Aquiles Lins)

Rio 247 - Os deputados federais licenciados pelo PMDB Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, e Pedro Paulo Carvalho, braço direito do prefeito do Rio, Eduardo Paes, retomam o mandato e desembarcam a partir de quinta-feira em Brasília para votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, já adiantou ao vice-presidente Michel Temer que a maioria da bancada apoia o impeachment e agora pressiona os demais a votarem contra Dilma.

Entre os dois peemedebistas que resistem a apoiar o afastamento da presidente é o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, que reassumirá o mandato para votar contra o impeachment, e o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani.

A bancada federal do PMDB se reúne na manhã desta quinta e pode fechar questão em apoio ao impeachment. Seria uma saída para que Picciani argumentasse publicamente que, como líder, não poderá votar contra desejo da maioria da bancada.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247