Pena de prisão para Cabral chega a 100 anos

Após ter sido condenado mais uma vez na Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) agora amarga uma pena de 100 anos de prisão. O emedebista havia sido condenado a 87 anos de prisão na Lava Jato do Rio e do Paraná; no mais novo processo, o juiz Marcelo Bretas condenou o ex-chefe do executivo fluminense a 13 anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro de R$ 4,5 milhões em joias

Após ter sido condenado mais uma vez na Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) agora amarga uma pena de 100 anos de prisão. O emedebista havia sido condenado a 87 anos de prisão na Lava Jato do Rio e do Paraná; no mais novo processo, o juiz Marcelo Bretas condenou o ex-chefe do executivo fluminense a 13 anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro de R$ 4,5 milhões em joias
Após ter sido condenado mais uma vez na Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) agora amarga uma pena de 100 anos de prisão. O emedebista havia sido condenado a 87 anos de prisão na Lava Jato do Rio e do Paraná; no mais novo processo, o juiz Marcelo Bretas condenou o ex-chefe do executivo fluminense a 13 anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro de R$ 4,5 milhões em joias (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Após ter sido condenado mais uma vez na Operação Lava Jato, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) agora amarga uma pena de 100 anos de prisão. O emedebista havia sido condenado a 87 anos de prisão na Lava Jato do Rio e do Paraná.

No mais novo processo, o juiz Marcelo Bretas, responsável pelo julgamento dos processos da operação em primeira instância jurídica no Rio, condenou o ex-chefe do executivo fluminense a 13 anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro de R$ 4,5 milhões em joias. Segundo a denúncia da força-tarefa da Lava Jato no Rio, o dinheiro que bancou as joias "era oriundo de propinas pagas por empreiteiras entre os anos de 2007 e 2014, em contratos para obras do metrô, reforma do Maracanã, PAC das Favelas e do Arco Metropolitano". O relato é do blog do Fausto Macedo.

A ex-primeira-dama Adriana Ancelmo foi condenada a 10 anos e oito meses pelo mesmo crime. Também foram condenados por lavagem os operadores financeiros Carlos Miranda – oito anos e dez meses – e Luiz Carlos Bezerra – quatro anos.

De acordo com o magistrado, Cabral era 'o principal idealizador do audaz esquema de lavagem de dinheiro revelado a partir da deflagração da Operação Calicute, esquema esse que movimentou milhões no Brasil e no exterior e envolveu diferentes formas de lavagem'.

O juiz também afirmou que a ex-primeira-dama foi 'parceira de crime' de Sérgio Cabral e 'a principal beneficiária da lavagem de dinheiro por meio da aquisição de joias, que envolveu nada mais, nada menos, que R$ 4.527.590,00'.

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247