Pezão diz que pena para Sérgio Cabral foi 'excessiva'

Para o atual governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), a sentença imposta ao ex-governador Sérgio Cabral é "excessiva"; o ex-governador foi condenado a 45 anos de prisão no âmbito da Operação Lava Jato, a maior pena imposta a um condenado nesses processos; para Pezão, Cabral deverá conseguir a redução da pena em instâncias superiores

Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

Rio 247 - Para o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), a pena imposta ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) foi "excessiva". Cabral foi condenado a 45 anos de prisão pelo juiz Marcelo Bretas. A pena de Cabral é a maior dentre os processos da Lava Jato. O atual governador acredita que a pena será diminuída em instâncias superiores..

Pezão prestou depoimento à Justiça Federal em processo em que o ex-governador é acusado de organizar um cartel na licitação do "PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) das Favelas". Segundo o governador, o Estado está auditando a licitação e os resultados iniciais dessa auditoria não indicam sobrepreço.

De acordo com auditoria feita pela CGU, as obras no Complexo do Alemão, Manguinhos e Rocinha tiveram ágio de 20%. Elas custaram R$ 1,1 bilhão. Nós não nos defendemos na época. Agora estamos dentro do parâmetro que o TCU aceita", disse o governador. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247