Pezão pede saída de Cunha da presidência da Câmara

"Ele fica colocando os interesses dele acima dos interesses do País. Um chefe de poder e um poder tão importante onde estamos precisando discutir uma pauta de governabilidade, uma pauta que não seja pauta bomba, estamos discutindo essas questões... isso não soma", afirmou o governador Luiz Pezão sobre as manobras de Eduardo Cunha na Câmara; ele também contestou a derrubada de Leonardo Picciani da liderança do partido na Casa: “Achei uma medida de força, uma medida desnecessária nesse momento que a gente está precisando de entendimento”

30-06-2014 - Rio de Janeiro - Posse de Luiz Fernando Pezão como governador do Rio. Pezão assume no lugar de Sérgio Cabral (Tomaz Silva/Agência Brasil)
30-06-2014 - Rio de Janeiro - Posse de Luiz Fernando Pezão como governador do Rio. Pezão assume no lugar de Sérgio Cabral (Tomaz Silva/Agência Brasil) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), defendeu a saída de seu correligionário Eduardo Cunha (RJ) da presidência da Câmara.

Ele criticou as manobras de Cunha no comando da Casa diante das denúncias contra ele no esquema de corrupção da Petrobras e de seu processo de cassação no Conselho de Ética.

"Ele fica colocando os interesses dele acima dos interesses do País. Um chefe de poder e um poder tão importante onde estamos precisando discutir uma pauta de governabilidade, uma pauta que não seja pauta bomba, estamos discutindo essas questões... isso não soma. Estamos indo para dois dígitos em desemprego, acho um desserviço ao País não estarmos com uma pauta proativa", afirmou.

Em entrevista à ‘Folha de S. Paulo’, Pezão também se disse contra a derrubada do deputado Leonardo Picciani (RJ), da liderança do PMDB na Câmara.

"Eu não estou dentro do parlamento eu não conheço os trâmites. Contra um líder do PMDB do Rio, que é o maior PMDB do país, que tem governo do Estado, tem prefeitura e tem a maior bancada do PMDB no Brasil. Achei uma medida de força, uma medida desnecessária nesse momento que a gente está precisando de entendimento. Não soma nada", completou (leia aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email