Pezão quer mais rigor em punição a criminosos

Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão vai se reunir com a bancada de deputados federais e senadores do estado para colocar em prática uma punição mais rígida a criminosos e amenizar os efeitos da crise do petróleo no estado; também deverá ser discutido investimentos em torno de R$ 480 milhões para áreas como saúde, mobilidade urbana e segurança; o encontro será realizado no Palácio Guanabara, sede do Executivo

22.07.2015 - Rio de Janeiro - RJ - Governador Luiz Fernando Pezão e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, apresentam o primeiro balanço da Operação Brasil Integrado, na Ponte Rio-Niterói. Foto: Carlos Magno.
22.07.2015 - Rio de Janeiro - RJ - Governador Luiz Fernando Pezão e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, apresentam o primeiro balanço da Operação Brasil Integrado, na Ponte Rio-Niterói. Foto: Carlos Magno. (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, vai se reunir nesta segunda-feira (17) com a bancada de deputados federais e senadores do estado para colocar em prática uma punição mais rígida a criminosos e amenizar os efeitos da crise do petróleo no estado. Deputados também devem discutir investimentos (algo em torno de R$ 480 milhões) para áreas como saúde, mobilidade urbana e segurança. O encontro será realizado no Palácio Guanabara, sede do Executivo.

O governo fluminense deve apresentar dois projetos de lei idealizados pelo secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. O primeiro prevê até triplicar a pena para quem portar armas de guerra, e o segundo deve propor a redução de benefícios para presos como os que permitem que detentos de alta periculosidade saiam para visitas e não voltem, o que exigiria mudanças no Código Penal.

Também está na pauta do governador o pedido de emendas parlamentares para a construção de um hospital na Baixada Fluminense e para a Linha 3 do metrô, de Niterói a São Gonçalo. Parlamentares também pretendem usar os recursos para compra de armas não letais para a Polícia Militar usar nas Olimpíadas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email