Pezão reagiu bem à primeira sessão de quimioterapia

A informação foi divulgada assessoria de imprensa do governo do Rio; o governador Luiz Fernando Pezão faz um tratamento contra um linfoma não-Hodgkin em duas vértebras da coluna; os medicamentos foram injetados por meio de um cateter, implantado ontem na altura da clavícula de Pezão; o tratamento terá entre seis e oito ciclos de 21 dias: três de quimioterapia e 18 de recuperação; Pezão vai se licenciar do cargo por 30 dias a partir de segunda-feira para dar continuidade ao tratamento

Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, reagiu bem à primeira sessão de quimioterapia de seu tratamento contra um linfoma não-Hodgkin em duas vértebras da coluna. A informação foi divulgada hoje (25) pela assessoria de imprensa do governo do Rio. Os medicamentos foram injetados por meio de um cateter, implantado ontem na altura da clavícula de Pezão.

Mais duas sessões estão previstas para amanhã (26) e domingo (27), e o governador deve ter alta na próxima terça-feira (29), para se recuperar da quimioterapia em casa. O tratamento terá entre seis e oito ciclos de 21 dias: três de quimioterapia e 18 de recuperação. Pezão vai se licenciar do cargo por 30 dias a partir de segunda-feira para dar continuidade ao tratamento. O vice-governador, Francisco Dornelles, assumirá o cargo.

De acordo com a nota do governo do Rio, Pezão está “bastante otimista e confiante”.

O diagnóstico de governador foi divulgado ontem (24), após 13 dias de investigação em que ficou internado no Hospital Pró-Cardíaco, na zona sul do Rio de Janeiro, onde permanece hospitalizado. O linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo é um tipo incomum de linfoma, e sua manifestação no tecido ósseo é ainda mais rara.

O médico oncologista Daniel Tabak, responsável pelo tratamento, disse que o câncer de Pezão é incomum, agressivo e potencialmente curável, e que o governador encontra-se em bom estado clínico, sem que a enfermidade tenha afetado gânglios, pulmão, rins ou fígado.

Segundo Tabak, 70% dos pacientes com o mesmo tipo de câncer que o governador são curados quando submetidos ao mesmo tipo de tratamento. Tabak destacou que a expectativa do tratamento é favorável.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247