Pezão segue internado para investigar quadro febril

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, continua internado no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, na zona sul do Rio, para investigar um quadro febril; o chefe do executivo fluminense se internou para se submeter a uma bateria de exames de rotina, quando a equipe médica constatou que ele apresentava febre que não cedia

Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Governador Luiz Fernando Pezão e prefeitos discutem medidas contra a crise econômica nas cidades no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro em reunião no Palácio Guanabara (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Douglas Correa – Repórter da Agência Brasil

O governador Luiz Fernando Pezão continua internado, desde o último sábado (12), no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, na zona sul do Rio, para investigar um quadro febril. O governador se internou para se submeter a uma bateria de exames de rotina, quando a equipe médica constatou que ele apresentava febre que não cedia.

Na tarde desta sexta-feira (18), a assessoria do governador divulgou uma nota: “Pezão foi submetido a exames de imagem, que mostram alterações na coluna vertebral, e aguarda o resultado de outros exames”.

O quadro clínico do governador é estável. Ele está internado em um apartamento, sem previsão de alta.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email