Pezão vai colocar à venda dívida ativa do Rio

De acordo com o governador, seria uma forma de dar liquidez a títulos ilíquidos, arrecadando recursos importantes em tempos de dificuldades financeira – que não atinge só o Rio, mas todos os demais Estados; projeto de lei já foi aprovado na Assembleia Legislativa; parte da dívida que seria colocada à venda soma algo próximo a R$ 100 bilhões

9-08-2015 - Rio de Janeiro - Governador Luiz fernando Pezão participa da abertura de Solenidade de abertura do ENAEX 2015 – Encontro Nacional de Comércio Exterior
9-08-2015 - Rio de Janeiro - Governador Luiz fernando Pezão participa da abertura de Solenidade de abertura do ENAEX 2015 – Encontro Nacional de Comércio Exterior (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), pretende vender parte da dívida ativa do Estado do Rio de Janeiro.

O projeto de lei já foi aprovado na Assembleia Legislativa. A parte que seria colocada à venda soma algo próximo a R$ 100 bilhões, aponta a colunista Sonia Racy neste sábado.

De acordo com o governador, esta seria uma forma de dar liquidez a títulos ilíquidos, arrecadando recursos importantes em tempos de dificuldades financeira – que não atinge só o Rio, mas todos os demais Estados.

A jornalista lembra, porém, que "a lei sugere que esse dinheiro seria usado para melhorar serviços do Estado do Rio e para investir em obras de infraestrutura. E não para resolver problemas de caixa da própria administração – ato que iria contra as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email