Piloto da Marinha continua desaparecido

A Marinha entrou no terceiro dia de buscas pelo piloto desaparecido no acidente aére; até agora, segundo nota divulgada à imprensa, nada foi encontrado; o piloto desapareceu no mar depois que duas aeronaves AF-1B Skyhawk colidiram durante um exercício, a 100 quilômetros da costa, próximo ao município de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro; o outro piloto envolvido no acidente conseguiu retornar à Base Naval de São Pedro da Aldeia em segurança


A Marinha entrou no terceiro dia de buscas pelo piloto desaparecido no acidente aére; até agora, segundo nota divulgada à imprensa, nada foi encontrado; o piloto desapareceu no mar depois que duas aeronaves AF-1B Skyhawk colidiram durante um exercício, a 100 quilômetros da costa, próximo ao município de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro; o outro piloto envolvido no acidente conseguiu retornar à Base Naval de São Pedro da Aldeia em segurança
A Marinha entrou no terceiro dia de buscas pelo piloto desaparecido no acidente aére; até agora, segundo nota divulgada à imprensa, nada foi encontrado; o piloto desapareceu no mar depois que duas aeronaves AF-1B Skyhawk colidiram durante um exercício, a 100 quilômetros da costa, próximo ao município de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro; o outro piloto envolvido no acidente conseguiu retornar à Base Naval de São Pedro da Aldeia em segurança (Foto: Leonardo Lucena)

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

A Marinha entrou esta quinta-feira (28) no terceiro dia de buscas pelo piloto desaparecido no acidente aéreo da última terça-feira (26). Até agora, segundo nota divulgada à imprensa, nada foi encontrado.

O piloto desapareceu no mar depois que duas aeronaves AF-1B Skyhawk colidiram durante um exercício, a 100 quilômetros da costa, próximo ao município de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

O outro piloto envolvido no acidente conseguiu retornar à Base Naval de São Pedro da Aldeia em segurança. Já o piloto desaparecido caiu no mar, provavelmente depois de se ejetar da cabine. Os nomes dos dois militares não foram divulgados pela Marinha.

Segundo a nota, nem o exercício militar e nem as aeronaves têm qualquer relação com o esquema de segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Uma comissão de investigação de acidentes aeronáuticos foi criada no próprio dia do acidente, para apurar os fatores que levaram à colisão entre as duas aeronaves.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247