PM-Rio começa substituição da Força da Maré

O processo de transição da PM do Rio de Janeiro, que substitui a Força de Pacificação no patrulhamento do conjunto de favelas da Maré, na zona norte da capital fluminense, começou na primeira hora desta quarta-feira (1º); a medida integra o planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg) para pacificar o local composto por 16 comunidades

O processo de transição da PM do Rio de Janeiro, que substitui a Força de Pacificação no patrulhamento do conjunto de favelas da Maré, na zona norte da capital fluminense, começou na primeira hora desta quarta-feira (1º); a medida integra o planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg) para pacificar o local composto por 16 comunidades
O processo de transição da PM do Rio de Janeiro, que substitui a Força de Pacificação no patrulhamento do conjunto de favelas da Maré, na zona norte da capital fluminense, começou na primeira hora desta quarta-feira (1º); a medida integra o planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg) para pacificar o local composto por 16 comunidades (Foto: Leonardo Lucena)

Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil

O processo de transição da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, que substitui a Força de Pacificação no patrulhamento do conjunto de favelas da Maré, na zona norte da capital fluminense, começa na primeira hora desta quarta-feira (1º). A medida integra o planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg) para pacificar o local composto por 16 comunidades.

O governo do estado informou que a transição foi acertada no protocolo de cooperação assinado no dia 7 de janeiro deste ano entre o governo federal, as Forças Armadas e o governo do estado do Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com o governo do estado, a ocupação vai começar por duas das comunidades, a da Praia de Ramos e da Roquette Pinto. Ainda na noite de hoje (31), a PM montará um cinturão de segurança nos acessos aos dois locais. Equipes do Batalhão de Choque passarão a patrulhar a região a partir de meia-noite, e o Grupamento Tático de Motociclistas (Getem) começa as ações às 6h desta quarta (1º).

Após a transição, 220 policiais militares continuarão fazendo o patrulhamento no Complexo da Maré, dentro do plano de pacificação do território. Eles já vinham sendo treinados desde novembro do ano passado para atuar com a Força de Pacificação em toda a região e no atendimento a ocorrências. Os policiais fazem parte do efetivo da UPP, companhia vinculada à Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Atualmente existem 38 comunidades pacificadas, onde moram cerca de 1,5 milhão de pessoas em 264 localidades. O programa de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) começou em 19 de dezembro de 2008, com a instalação da primeira UPP na comunidade Dona Marta, em Botafogo, na zona sul do Rio. Pelos números da Seseg, hoje quase 10 mil policiais militares atuam nos territórios retomados pelo estado.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247