Camponeses expulsam a tiros PMs jagunços que mataram trabalhador rural

O conflito no assentamento é antigo, mas se acirrou essa semana. Os fazendeiros mataram animais dos trabalhadores na segunda e ontem foi acompanhado de jagunços para atacar os trabalhadores

Em 2017 foram 70 assassinatos no campo
Em 2017 foram 70 assassinatos no campo (Foto: Valter Campanato)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Três homens invadiram o acampamento Emiliano Zapata, do Incra, em São Pedro da Aldeia (Rio de Janeiro), na noite desta quarta-feira (8). Os homens atiraram e mataram uma pessoa e deixaram outros feridos. A vítima era conhecido como Mineiro, que levou pelo menos dois tiros. Além dele, outro trabalhador, Sebastião de Souza Corégima, foi baleado no joelho.

O acampamento era organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio de Janeiro (Fetagri/RJ).

Segundo a Voz da Resistência, “o conflito no assentamento é antigo, mas se acirrou essa semana”. Os fazendeiros mataram “animais dos trabalhadores na segunda e ontem foram acompanhados de jagunços para atacar os trabalhadores”.

Os trabalhadores reagiram abrindo fogo contra os jagunços, que acabaram feridos, e fugiram. Segundo matéria da Voz da Resistência, “os dois capangas são Sargentos da PMERJ lotados no 25BPM, ambos estavam de folga no dia. Foram ao local, segundo testemunhas, acompanhados pelo Fazendeiro Matheus Canellas”.

Segundo a Fetagri, a terra é da Fazenda Negreiros, que foi desapropriada pelo Incra em 2008. Apenas 450 hectares da fazenda foram para a reforma agrária, no entanto. Na área oficial foi criado o Assentamento Ademar Moreira, com 21 famílias. 

Entretanto, os outros 820 hectares da fazenda também foi ocupada, em 2017,  por cerca de 40 famílias que criaram o Acampamento Emiliano Zapata.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email