PMs do Bope são suspeitos de receber propina

A Polícia Militar em parceria com o Ministério Público realizam a operação Black Evil com o objetivo de cumprir cinco mandados de prisão preventiva contra agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) suspeitos de receber propina de traficantes; segundo as investigações, os valores recebidos pelos policiais variavam entre R$ 2 mil e R$ 10 mil por comunidade; o grupo ainda negociava com traficantes armas apreendidas em outras ações para uso da quadrilha

A Polícia Militar em parceria com o Ministério Público realizam a operação Black Evil com o objetivo de cumprir cinco mandados de prisão preventiva contra agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) suspeitos de receber propina de traficantes; segundo as investigações, os valores recebidos pelos policiais variavam entre R$ 2 mil e R$ 10 mil por comunidade; o grupo ainda negociava com traficantes armas apreendidas em outras ações para uso da quadrilha
A Polícia Militar em parceria com o Ministério Público realizam a operação Black Evil com o objetivo de cumprir cinco mandados de prisão preventiva contra agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) suspeitos de receber propina de traficantes; segundo as investigações, os valores recebidos pelos policiais variavam entre R$ 2 mil e R$ 10 mil por comunidade; o grupo ainda negociava com traficantes armas apreendidas em outras ações para uso da quadrilha (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - A Polícia Militar em parceria com o Ministério Público realizam na manhã desta sexta-feira (11) a operação Black Evil com o objetivo de cumprir cinco mandados de prisão preventiva contra agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) suspeitos de receber propina de traficantes. Até as 9h50 (horário de Brasília), quatro dos cinco policiais tinham sido presos.

Segundo as investigações, os valores recebidos pelos policiais variavam entre R$ 2 mil e R$ 10 mil por comunidade. O grupo ainda negociava com traficantes armas apreendidas em outras ações para uso da quadrilha.

A denúncia do MP apontou que, entre os meses de agosto e dezembro deste ano, os policiais receberam dinheiro de traficantes de uma facção criminosa em troca de informações sobre operações realizadas pelo Bope nas comunidades Antares, Barão, Conjunto de Favelas do Lins, Conjunto de Favelas do Chapadão Covanca, Faz quem Quer, Jordão, Lixão e Vila Ideal. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email