Polícia faz perícia em carro que teria sido usado por assassinos de médica

Equipes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fizeram uma perícia no carro que pode ser o que foi utilizado pelos suspeitos que mataram a médica Gisele Palhares Gouveia na Linha Vermelha, na Zona Norte do Rio, no dia 26 de junho; o veículo tinha a sigla com iniciais de uma facção criminosa pichado em vários locais; o laudo da necropsia comprovou que a médica morreu com um tiro na cabeça; a médica morreu na divisa entre Pavuna e São João de Meriti, na Baixada Fluminense

Equipes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fizeram uma perícia no carro que pode ser o que foi utilizado pelos suspeitos que mataram a médica Gisele Palhares Gouveia na Linha Vermelha, na Zona Norte do Rio, no dia 26 de junho; o veículo tinha a sigla com iniciais de uma facção criminosa pichado em vários locais; o laudo da necropsia comprovou que a médica morreu com um tiro na cabeça; a médica morreu na divisa entre Pavuna e São João de Meriti, na Baixada Fluminense
Equipes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fizeram uma perícia no carro que pode ser o que foi utilizado pelos suspeitos que mataram a médica Gisele Palhares Gouveia na Linha Vermelha, na Zona Norte do Rio, no dia 26 de junho; o veículo tinha a sigla com iniciais de uma facção criminosa pichado em vários locais; o laudo da necropsia comprovou que a médica morreu com um tiro na cabeça; a médica morreu na divisa entre Pavuna e São João de Meriti, na Baixada Fluminense (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Equipes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fizeram uma perícia, na manhã desta quinta-feira (7), no carro que pode ser o que foi utilizado pelos suspeitos que mataram a médica Gisele Palhares Gouveia na Linha Vermelha, na Zona Norte do Rio, no dia 26 de junho. O veículo tinha a sigla com iniciais de uma facção criminosa pichado em vários locais. O laudo da necropsia comprovou que a médica morreu com um tiro na cabeça. A médica morreu na divisa entre Pavuna e São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

O veículo, uma caminhonete S10 branca, foi encontrado dentro do Complexo do Chapadão, na Zona Norte do Rio. Em operação no Morro da Quitanda, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, Policiais disseram ter encontrado outro carro que também teria participado da morte da médica. Na manhã desta quinta-feira (7) um Toyota preto foi apreendido na favela por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod).

Gisele foi baleada na cabeça durante uma tentativa de assalto na saída da via dutra, acesso para a Linha Vermelha, na pista sentido Centro do Rio, no fim da noite de sábado (25). A vítima estava sozinha em seu carro e o crime aconteceu na altura da Pavuna, Zona Norte do Rio.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247