Polícia sabia de plano para resgatar traficante em hospital do Rio

Fontes da polícia do Rio confirmaram  que tinham informações sobre a possibilidade da realização do resgate do traficante de drogas Nicolas Labre Pereira de Jesus, 28 anos, conhecido como "Fat Family" de dentro do Hospital Municipal Souza Aguiar, a principal unidade de emergência no Centro do Rio; a informação chegou por meio de escutas realizadas pela Delegacia de Combate às Drogas (Decod), da Polícia Civil; durante o ataque, um paciente morreu e duas outras pessoas foram baleadas, dentre elas um policial militar

Fontes da polícia do Rio confirmaram  que tinham informações sobre a possibilidade da realização do resgate do traficante de drogas Nicolas Labre Pereira de Jesus, 28 anos, conhecido como "Fat Family" de dentro do Hospital Municipal Souza Aguiar, a principal unidade de emergência no Centro do Rio; a informação chegou por meio de escutas realizadas pela Delegacia de Combate às Drogas (Decod), da Polícia Civil; durante o ataque, um paciente morreu e duas outras pessoas foram baleadas, dentre elas um policial militar
Fontes da polícia do Rio confirmaram  que tinham informações sobre a possibilidade da realização do resgate do traficante de drogas Nicolas Labre Pereira de Jesus, 28 anos, conhecido como "Fat Family" de dentro do Hospital Municipal Souza Aguiar, a principal unidade de emergência no Centro do Rio; a informação chegou por meio de escutas realizadas pela Delegacia de Combate às Drogas (Decod), da Polícia Civil; durante o ataque, um paciente morreu e duas outras pessoas foram baleadas, dentre elas um policial militar (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Fontes da polícia do Rio confirmaram  que tinham informações sobre a possibilidade da realização do resgate do traficante de drogas Nicolas Labre Pereira de Jesus, 28 anos, conhecido como "Fat Family" de dentro do Hospital Municipal Souza Aguiar, a principal unidade de emergência no Centro do Rio. A informação chegou por meio de escutas realizadas pela Delegacia de Combate às Drogas (Decod), da Polícia Civil. Depois de ser informado sobre a ameaça, o Centro de Informação e Controle da secretaria de Segurança Pública pediu reforço de policiamento. Durante o ataque, um paciente morreu e duas outras pessoas foram baleadas, dentre elas um policial militar.

Segundo a Globonews, em um primeiro momento houve reforço de policiais na segurança do traficante, passando de um para quatro policiais militares, mas na madrugada deste domingo havia dois PMs fazendo a segurança do criminosos, que seria um dos chefes do tráfico de drogas no Morro Santo Amaro, no Catete, Zona Sul da cidade. Ele estava internado no Souza Aguiar desde a última segunda-feira (13) após ficar ferido em um confronto com a polícia.

Em nota, a secretaria de Estado de Segurança (Seseg) afirmou que todo o fluxo de informações de alertas sobre um possível resgate de um preso custodiado no Hospital Souza Aguiar funcionou.

Os primeiros informes chegaram na noite da quinta-feira (16) à Coordenadoria de Comunicações e Operações Policiais da Polícia Civil (Cecopol), aos setores de Inteligência da Seseg e das polícias. A comunicação foi imediatamente repassada ao setor operacional responsável, o 5º Batalhão de Polícia Militar da Praça da Harmonia, para as devidas providências.

A ação na madrugada deste domingo (17) foi realizada por um grupo de aproximadamente 25 homens. Eles chegaram ao hospital numa ação quase cinematográfica: em quatro motos e cinco carros e armados com fuzis, pistolas e explosivos.

Durante o ataque o vigilante da Supervia, Ronaldo Luiz Marriel de Souza, 35 anos, que estava no hospital foi atingido e morreu no local. Um policial militar e um técnico de enfermagem, que trabalhava no hospital foram baleados. O policial passou por uma cirurgia na manhã deste domingo (19). O  técnico de enfermagem está internado em estado grave. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247