Prefeitura de SP recua e paralisação de ônibus é suspensa

A paralisaão dos trabalhadores de ônibus pressionou o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que recuou da proposta de extiguir a função de cobrador, gerando desemprego, e de reduzir a frota

(Foto: Divulgação/Assessoria Sindicato dos Motoristas)

247 - Os trabalhadores de ônibus da cidade de São Paulo decidiram suspender a paralisação, iniciada na quinta-feira (5), a prefeitura recuar e atender as reivindicações do SindMotorista – que representa a categoria. 

Entre as conquistas, está a não extinção da função de cobrador, pagamento da participação nos lucros e a prefeitura recuou da proposta de reduzir a frota.

O presidente do sindicato dos motoristas e deputado federal, Valdevan Noventa (PSC-SP), disse que não haverá desconto na folha de pagamento de quem participou da greve. “Agradeço a confiança da categoria e o protesto está suspenso, porque o poder público cedeu e não terá desemprego para os trabalhadores”, afirmou.

Mesmo com o fim da paralisação por conta da greve, os coletivos ainda rodaram de forma parcial. Segundo informações da São Paulo Transporte (SPTrans), 18 linhas da Sambaíba, uma das concessionárias, não estão circulando. Em função da paralisação, a Prefeitura suspendeu o rodízio de veículos. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247