'Preocupa situação de imóveis próximos à explosão', diz secretário

O subsecretário de Defesa Civil municipal do Rio, Márcio Motta, disse que 14 imóveis foram destruídos pela explosão na Rua São Luiz Gonzaga, em São Cristóvão, na zona norte; segundo ele, 40 imóveis sofreram algum tipo de dano, com vidraças quebradas; "Só estou preocupado com as edificações ao lado do [prédio] que desabou. Estou só esperando haver condição para chegar lá e fazer uma verificação", declarou

O subsecretário de Defesa Civil municipal do Rio, Márcio Motta, disse que 14 imóveis foram destruídos pela explosão na Rua São Luiz Gonzaga, em São Cristóvão, na zona norte; segundo ele, 40 imóveis sofreram algum tipo de dano, com vidraças quebradas; "Só estou preocupado com as edificações ao lado do [prédio] que desabou. Estou só esperando haver condição para chegar lá e fazer uma verificação", declarou
O subsecretário de Defesa Civil municipal do Rio, Márcio Motta, disse que 14 imóveis foram destruídos pela explosão na Rua São Luiz Gonzaga, em São Cristóvão, na zona norte; segundo ele, 40 imóveis sofreram algum tipo de dano, com vidraças quebradas; "Só estou preocupado com as edificações ao lado do [prédio] que desabou. Estou só esperando haver condição para chegar lá e fazer uma verificação", declarou (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala - Agência Brasil

O subsecretário de Defesa Civil municipal do Rio, Márcio Motta, disse que 14 imóveis foram destruídos pela explosão na Rua São Luiz Gonzaga, em São Cristóvão, na zona norte, hoje (19) de madrugada.

São eles a Drogaria Cristal, um restaurante, uma pizzaria, além de 11 quitinetes instaladas no fundo do prédio. Segundo Motta, 40 imóveis sofreram algum tipo de dano, com vidraças quebradas, como é o caso do Colégio Pedro II, que fica no bairro.

Todos os imóveis vão ser avaliados pela Defesa Civil para identificar se houve algum dano na estrutura. "Só estou preocupado com as edificações ao lado do [prédio] que desabou. Estou só esperando haver condição para chegar lá e fazer uma verificação. Se for necessário, a gente vai fazer a demolição", disse o subsecretário.

Ele lembrou que há dois meses houve vazamento de gás canalizado na região, mas disse que isso não tem nada a ver com a explosão de hoje. "Nós sabemos que há gás estocado no local, o que é ilegal. Não é possível ainda dizer quem é o responsável pela explosão. Havia gás estocado, inclusive nas casas".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email