Presidente do PSDB de SP quer o partido na oposição a Bolsonaro e critica governistas tucanos

"Aqueles que não querem que o PSDB fique na oposição...trabalham para criar uma grande nuvem de fumaça em torno do tema", disse Marco Vinholi

(Foto: Reprodução PSDB)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Articulador do golpe de 2016 e principal responsável pela escalada de ódio e criminalização da política, o PSDB agora quer colocar o gêncio do fascismo de volta na lâmpada. O presidente do diretório paulista do PSDB, Marco Vinholi, defendeu em entrevista ao Congresso em Foco que o partido assuma uma postura de oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

"Aqueles que não querem que o PSDB fique na oposição, como o deputado Celso Sabino [deputado tucano do Pará e articulador de votos para Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara eleito com o apoio do governo], trabalham para criar uma grande nuvem de fumaça em torno do tema. A pergunta é: o PSDB quer ser oposição ao governo Bolsonaro assim como nós fazemos?", disse Vinholi, que também é secretário de Desenvolvimento Regional do governador João Doria (PSDB).

O dsicurso é parte da estratégia de Doria que de olho nas eleições de 2022, tenta pavimentar o caminho de sua candidatura na legenda. Em meio a uma eleição da mesa-diretora da Câmara, Doria provocou uma crise no partido ao tentar substituir Bruno Araújo na presidência do PSDB e voltar a pedir a expulsão do ex-presidente da sigla, o deputado Aécio Neves (MG).

Na entrevista, Vinholi negou que haja movimento para Doria ser presidente do PSDB e elogiou Bruno Araújo. "Grande parceiro, do governador e nosso", disse.

No entanto, tucanos críticos de Doria reclamam da postura dele e lembram que ele apoiou Bolsonaro em 2018.

"Ninguém até hoje questionou a postura de oposição do PSDB ao governo. Apenas o governador de São Paulo insiste em prestar esse desserviço ao partido. A obsessão do senhor João Doria em reafirmar, diariamente, que é oposição ao presidente Bolsonaro talvez seja um esforço inconsciente (ou não) para tentar apagar da sua memória, e da memória dos brasileiros, a sua mudança de nome nas últimas eleições, de João Doria para Bolsodoria", escreveu Aécio Neves em nota.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email