Professor de artes que mandou foto nu para grupo de alunos no WhatsApp em Campinas afirma que foi 'erro de envio'

Após enviar foto nu em um grupo de WhatsApp com alunos do 7º ano do fundamental, o professor afirmou haver um preconceito contra o naturismo, uma prática de vida referente ao "retorno à natureza", com práticas como o nudismo. "Realmente foi um erro meu, na ideia de enviar mensagem para amigos, enviei no grupo errado. (...) Na arte, sempre existiu o nu"

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um professor de artes afirmou que houve um "erro de envio" em uma foto nu em um grupo de WhatsApp com alunos do 7º ano do fundamental de uma escola estadual de Campinas (SP). Os relatos foram publicados pelo portal G1

O professor disse preferir "preservar seu nome até que tudo se resolva" e afirmou haver um preconceito contra o naturismo, uma prática de vida referente ao "retorno à natureza", com alimentação natural e prática do nudismo.

"Realmente foi um erro meu, na ideia de enviar mensagem para amigos, enviei no grupo errado. (...) Na arte, sempre existiu o nu. Artistas de TV, vários, já postaram fotos. Existem programas com nu na TV. E ainda assim, existe um preconceito generalizando sobre o tema. A história mostra o quão estamos atrasados em nossos conceitos", contou o docente.

A 1ª Delegacia de Defesa da Mulher de Campinas investiga o caso. A Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP) confirmou que investiga um homem por divulgar fotos e vídeos "contendo pornografia envolvendo criança ou adolescente" (artigo 241-A do ECA). 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247