Professores e governo do Rio entram em consenso

Até o dia 30 de junho, o governo do Estado do Rio de Janeiro encaminhará à Alerj um projeto de lei com itens relacionados à campanha salarial dos professores da rede estadual de ensino, em greve desde do dia 12 de maio; algumas das reivindicações são o reajuste linear de 20% com paridade para os aposentados, equiparação salarial da categoria e eleição direta para diretores; ainda não houve consenso em relação às reivindicações dos professores da rede municipal de ensino, que aguardam uma negociação com a Prefeitura do Rio

Até o dia 30 de junho, o governo do Estado do Rio de Janeiro encaminhará à Alerj um projeto de lei com itens relacionados à campanha salarial dos professores da rede estadual de ensino, em greve desde do dia 12 de maio; algumas das reivindicações são o reajuste linear de 20% com paridade para os aposentados, equiparação salarial da categoria e eleição direta para diretores; ainda não houve consenso em relação às reivindicações dos professores da rede municipal de ensino, que aguardam uma negociação com a Prefeitura do Rio
Até o dia 30 de junho, o governo do Estado do Rio de Janeiro encaminhará à Alerj um projeto de lei com itens relacionados à campanha salarial dos professores da rede estadual de ensino, em greve desde do dia 12 de maio; algumas das reivindicações são o reajuste linear de 20% com paridade para os aposentados, equiparação salarial da categoria e eleição direta para diretores; ainda não houve consenso em relação às reivindicações dos professores da rede municipal de ensino, que aguardam uma negociação com a Prefeitura do Rio (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 – Até o dia 30 de junho, o governo do Estado do Rio de Janeiro encaminhará à Assembleia Legislativa (Alerj) um projeto de lei com itens relacionados à campanha salarial dos professores da rede estadual de ensino, em greve desde do dia 12 de maio. As negociações ocorreram após uma reunião entre os docentes e representantes do estado mediada pela presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargadora Leila Mariano. No entanto, não houve consenso em relação às reivindicações dos professores da rede municipal de ensino.

As reivindicações, tanto para o estado como para a cidade do Rio, são o reajuste linear de 20% com paridade para os aposentados, equiparação salarial da categoria, eleição direta para diretores, reconhecimento do cargo de cozinheira, 15% de aumento salarial entre níveis e 30 horas semanais para os funcionários administrativos.

Outro encontro, com professores da rede municipal terminou sem acordo. Os docentes entregaram um documento com uma proposta formal à prefeitura e aguardam uma contraproposta.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247