Propina do Maracanã seria maior que custo dos restaurantes populares

O pacote de cortes do governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB), no Rio, prevê a extinção do programa Restaurante Cidadão, o que renderá aos cofres do Estado a economia de R$ 56,8 milhões anuais; o valor, no entanto, é menor do que teria sido embolsado em propina na reconstrução do Maracanã para a Copa de 2014, que foi de R$ 60 milhões de recursos públicos. É o que afirmaram antigos executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez; "Se os denunciantes da Andrade Gutierrez e da Odebrecht falam a verdade, a propina do Maracanã seria suficiente para bancar um ano de refeições nos restaurantes populares. Com direito a um troco gordo", ressalta o jornalista Mário Magalhães

O pacote de cortes do governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB), no Rio, prevê a extinção do programa Restaurante Cidadão, o que renderá aos cofres do Estado a economia de R$ 56,8 milhões anuais; o valor, no entanto, é menor do que teria sido embolsado em propina na reconstrução do Maracanã para a Copa de 2014, que foi de R$ 60 milhões de recursos públicos. É o que afirmaram antigos executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez; "Se os denunciantes da Andrade Gutierrez e da Odebrecht falam a verdade, a propina do Maracanã seria suficiente para bancar um ano de refeições nos restaurantes populares. Com direito a um troco gordo", ressalta o jornalista Mário Magalhães
O pacote de cortes do governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB), no Rio, prevê a extinção do programa Restaurante Cidadão, o que renderá aos cofres do Estado a economia de R$ 56,8 milhões anuais; o valor, no entanto, é menor do que teria sido embolsado em propina na reconstrução do Maracanã para a Copa de 2014, que foi de R$ 60 milhões de recursos públicos. É o que afirmaram antigos executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez; "Se os denunciantes da Andrade Gutierrez e da Odebrecht falam a verdade, a propina do Maracanã seria suficiente para bancar um ano de refeições nos restaurantes populares. Com direito a um troco gordo", ressalta o jornalista Mário Magalhães (Foto: Valter Lima)

247 - O pacote de cortes do governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB), no Rio, prevê a extinção do programa Restaurante Cidadão, o que renderá aos cofres do Estado a economia de R$ 56,8 milhões anuais.

O valor, no entanto, é menor do que teria sido embolsado em propina na reconstrução do Maracanã para a Copa de 2014, que foi de R$ 60 milhões de recursos públicos. É o que afirmaram antigos executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez. A obra custou R$ 1,2 bilhão.

De acordo com os altos funcionários das empreiteiras, 5% do orçamento foram desviados para pagar propina ao ex-governador Sérgio Cabral, antecessor e padrinho político de Pezão.

"Se os denunciantes da Andrade Gutierrez e da Odebrecht falam a verdade, a propina do Maracanã seria suficiente para bancar um ano de refeições nos restaurantes populares. Com direito a um troco gordo", ressalta o jornalista Mário Magalhães. Leia o texto dele na íntegra aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247