Reginaldo Lopes aciona STF contra Bolsonaro por prevaricação e crime contra a saúde pública

"Entrei com mais uma notícia-crime contra Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal por entender que ele infringiu pelo menos dois artigos do Código Processual Penal, o 319, que trata sobre prevaricação, e o 132, por crimes contra a saúde pública", defendeu o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG)

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG)
Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) protocolou junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia-crime contra Jair Bolsonaro, por negligência e má gestão no enfrentamento da pandemia causada pelo coronavírus. Na ação, protocolada na semana anterior ao carnaval, o parlamentar pediu ao presidente STF, ministro Luiz Fux, intime a Procuradoria-Geral da República a oferecer denúncia contra o presidente Bolsonaro.

"Entrei com mais uma notícia-crime contra Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal por entender que ele infringiu pelo menos dois artigos do Código Processual Penal, o 319, que trata sobre prevaricação, e o 132, por crimes contra a saúde pública. O presidente não agiu com a dignidade que o cargo exige e precisa sofrer as consequências desses atos", defendeu o parlamentar.

Na ação, o parlamentar argumentou que o descaso do governo resultou "em um dos momentos mais tristes da história do Brasil, quando na capital do estado do Amazonas, Manaus, faltou suprimentos de oxigênio, insumo essencial para a manutenção da vida".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email