Repasse para o Rio vai para metrô e servidores

Quem afirma é o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, Moreira Franco; o repasse de quase R$ 3 bilhões da União para o Rio de Janeiro, depois que o Estado decretou estado de calamidade pública, foi acordado durante uma reunião em Brasília; a verba, segundo ele, será destinada para finalizar as obras da Linha 4 do metrô e para pagar servidores públicos e fornecedores, com o intuito de evitar greves e garantir o sucesso da Olimpíada

Quem afirma é o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, Moreira Franco; o repasse de quase R$ 3 bilhões da União para o Rio de Janeiro, depois que o Estado decretou estado de calamidade pública, foi acordado durante uma reunião em Brasília; a verba, segundo ele, será destinada para finalizar as obras da Linha 4 do metrô e para pagar servidores públicos e fornecedores, com o intuito de evitar greves e garantir o sucesso da Olimpíada
Quem afirma é o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, Moreira Franco; o repasse de quase R$ 3 bilhões da União para o Rio de Janeiro, depois que o Estado decretou estado de calamidade pública, foi acordado durante uma reunião em Brasília; a verba, segundo ele, será destinada para finalizar as obras da Linha 4 do metrô e para pagar servidores públicos e fornecedores, com o intuito de evitar greves e garantir o sucesso da Olimpíada (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, Moreira Franco, afirmou neste sábado (18) que o repasse de quase R$ 3 bilhões ao Rio de Janeiro, foi acordado durante uma reunião em Brasília. A verba, segundo ele, será destinada para finalizar as obras da Linha 4 do metrô e para pagar servidores públicos e fornecedores, com o intuito de evitar greves e garantir o sucesso da Olimpíada. O estado decretou calamidade pública por conta da crise financeira - e fechará o ano com um déficit de mais de R$ 19 bilhões, se as previsões forem confirmadas.

"Esses recursos, eles têm uma destinação especifica: é para resolver o problema da mobilidade urbana, o metrô, e pagar pessoal. Nós precisamos ter segurança, nós precisamos ter a polícia, o Corpo de Bombeiros, hospitais, os servidores públicos prestando os serviços necessários, para que a cidade funcione. E receba o maior evento esportivo do mundo, que é a Olimpíada e a Paralimpíada", disse Franco ao RJTV.

O governo Federal assinará uma medida provisória na segunda-feira (20) para a liberação dos recursos para o Rio. No mesmo dia, o presidente em exercício, Michel Temer, e os governadores que tentam renegociar dívidas, mais de R$ 420 bilhões, têm uma reunião em Brasília e o precedente aberto para o Rio de Janeiro pode influenciar a negociação.

O governador do Rio, Francisco Dornelles, pediu R$ 6 bilhões, mas a União só liberou a metade. Dos cerca de R$ 3 bilhões, R$ 500 milhões seriam destinados para concluir a Linha 4 a tempo da Olimpíada, que começa em 5 de agosto. "Nós precisamos internacionalmente para o mundo dizer que somos sérios, que sabemos cumprir o nosso compromisso e é exatamente com esse compromisso, com essa vontade, com essa determinação, que essa medida provisória será assinada pelo presidente Michel Temer", complementou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247