Rio de Janeiro: pelo menos mil restaurantes e bares quebraram durante pandemia do coronavírus

A estimativa foi feita pelo Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio (SindRio). Segundo o presidente do sindicato, Fernando Blower, isso representa cerca de 10% do setor na cidade e 20 mil empregos foram perdidos diretamente. Além disso, Blower afirmou que “um terço não deve chegar ao fim do ano”

(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cerca de mil estabelecimentos, entre restaurantes e bares, fecharam as portas no Rio de Janeiro, durante a pandemia do coronavírus, de acordo com estimativa feita pelo Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio (SindRio). O número representa cerca de 10% do setor na capital fluminense e empregava cerca de 20 mil funcionários diretos.

“De dez mil estabelecimentos, pelo menos mil fecharam em definitivo e um terço não deve chegar ao fim do ano se não mudar a política de crédito”, disse o presidente do SindRio, Fernando Blower.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247