Sem cortes, governo do Rio não garante salários em 2017

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio, afirmou, nesta segunda (7), que sem a aprovação do pacote de medidas de austeridade anunciado na sexta (4), o Governo do estado poderá não honrar as 13 folhas de pagamento dos servidores em 2017; "Vamos entrar o próximo ano com um rombo no orçamento de mais de R$ 50 bilhões e, a partir daí, não poderemos mais garantir o pagamento integral dos servidores em 2017. É provável que só possamos pagar sete das 13 folhas salariais", disse

28/10/2016 - Governador Luiz Fernando Pezão participa do Seminário Infraestrutura Fluminense – desafios e oportunidades na sede da Firjan. Foto Marcelo Horn
28/10/2016 - Governador Luiz Fernando Pezão participa do Seminário Infraestrutura Fluminense – desafios e oportunidades na sede da Firjan. Foto Marcelo Horn (Foto: Valter Lima)

247 - O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio, afirmou, nesta segunda-feira (7), que sem a aprovação do pacote de medidas de austeridade anunciado na sexta-feira (4), o Governo do estado poderá não honrar as 13 folhas de pagamento dos servidores em 2017. Ele condicionou a regularidade salarial do funcionalismo estadual à aprovação dos 22 projetos de lei enviados à Assembleia Legislativa (Alerj).

"Nós não temos nenhum plano B. Se o pacote não for aprovado pela Assembleia Legislativa, não há mais o que possa ser feito. Vamos entrar o próximo ano com um rombo no orçamento de mais de R$ 50 bilhões e, a partir daí, não poderemos mais garantir o pagamento integral dos servidores em 2017. É provável que só possamos pagar sete das 13 folhas salariais. Além disso, ainda não há nenhuma previsão para o pagamento do 13º salário deste ano", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247