Serra foi quem plantou o ódio que destruiu a democracia no Brasil, diz Nassif

O jornalista Luis Nassif avalia, com razão, que o ex-governador José Serra deixa uma herança pesada, "como um dos principais artífices das guerras viscerais que destruíram a democracia brasileira"

Dodge pede que inquérito sobre Serra vá para a Justiça de São Paulo
Dodge pede que inquérito sobre Serra vá para a Justiça de São Paulo (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

247 – O jornalista Luis Nassif, editor do GGN,  avalia, com razão, que o ex-governador José Serra foi um dos responsáveis por espraiar o discurso de ódio que intoxicou a democracia no Brasil. "Na campanha de 2010, escancarou definitivamente sua falta de escrúpulos e de princípios. Foi o principal responsável pelo uso dos temas morais na política, ao acusar Dilma de “assassinar” crianças, por sua defesa do aborto em casos específicos, um discurso de ódio como ainda não se ouvira nas campanhas eleitorais, destruindo definitivamente a herança social-democrata do PSDB. E rasgou definitivamente a fantasia com o jogo de cena da bolinha de papel. Dali em diante mergulhou em direção ao submundo. De seus aliados, passou a exigir provas de lealdade, que consistiam em perpetrar atos abomináveis para serem aceitos pelo cappo", diz ele.

"No impeachment, mostrou mais uma vez seu oportunismo, estimulando o golpe, as passeatas e aceitando o cargo de Ministro das Relações Exteriores, de Michel Temer. Até que a Lava Jato atravessou seu caminho. E ali, o implacável Serra foi tomado de medo pânico, pavor mesmo, similar ao sentimento que acometia as inúmeras vítimas que deixou pelo caminho, fuziladas por dossiês e por manchetes de veículos inescrupulosos. O político terrível foi destruído pelo medo. Mas deixa uma herança pesada, como um dos principais artífices das guerras viscerais que destruíram a democracia brasileira", afirma.

Leia a íntegra no GGN

Ao vivo na TV 247 Youtube 247