Servidores do Rio não acham justo Temer liberar dinheiro para o Carnaval

"Antes da gente fazer a festa, a gente precisa fazer o dever de casa. A gente não é contra o Carnaval, não é contra nada disso, mas o Rio de Janeiro está sangrando, a saúde está sangrando. A gente com medo de ir à rua, o servidor sem ter o que comer dentro de casa. Acredito que não está em clima de comemoração não. Acho que está mais em clima de velório que de festa", disparou o membro do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais, Ramon Carrera, sobre a decisão de Michel Temer de destinar R$ 13 milhões a escolas de samba

Rio de Janeiro - Servidores estaduais de várias categorias em estado de greve participam de protesto contra a situação financeira e a mudança do calendário de pagamento de salários (Fernando Frazão/Agencia Brasil)
Rio de Janeiro - Servidores estaduais de várias categorias em estado de greve participam de protesto contra a situação financeira e a mudança do calendário de pagamento de salários (Fernando Frazão/Agencia Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

Do blog Sidney Rezende - O presidente do Sind-Justiça, Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, e integrante do Muspe, Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais, Ramon Carrera, criticou a decisão do Governo Michel Temer de destinar R$ 13 milhões para as escolas de samba do Rio e não priorizar a liberação de recursos para segurança, saúde e a regularização dos salários dos servidores.

Em entrevista ao jornalista Sidney Rezende, diretor do SRzd, Carrera disse também que “antes da gente fazer a festa, a gente precisa fazer o dever de casa. A gente não é contra o Carnaval, não é contra nada disso, mas o Rio de Janeiro está sangrando, a saúde está sangrando. A gente com medo de ir à rua, o servidor sem ter o que comer dentro de casa. Acredito que não está em clima de comemoração não. Acho que está mais em clima de velório que de festa”.

Leia a matéria na íntegra

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247