Setorial Jurídico PT-SP convoca mobilização contra transferência de Lula

O Setorial Jurídico do PT-SP repudia a decisão judicial que transfere Lula de Curitiba para São Paulo. A ideia é que ele vá para uma cela coletiva. Segundo o texto do partido, "os fatos são graves e nesse momento vamos nos mobilizar para de todas as formas possíveis, dentro da esfera jurídica, e na mobilização da sociedade", para barrar a decisão

247 - O Setorial Jurídico do PT-SP emitiu uma nota de repúdio à decisão da juíza Carolina Lebbos que transfere o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de Curitiba (PR) para São Paulo. A ideia é que ele vá para uma cela coletiva. A magistrada atendeu a um pedido da Polícia Federal, subordinada ao ministério da Justiça e Segurança Pública, chefiado por Sérgio Moro.

De acordo com a nota, a decisão tem como objetivo usar a "figura do ex-presidente para jogar uma cortina de fumaça em toda ilegalidade que vem sendo praticada pelos membros do judiciário envolvidos na trama".

"Os fatos são graves e nesse momento vamos nos mobilizar para de todas as formas possíveis, dentro da esfera jurídica, e na mobilização da sociedade, para colocar fim em mais esta ação atabalhoada dos membros do judiciário que atuam e pactuam com todas as arbitrariedades corajosamente denunciadas pelo Intercept Brasil e veiculada por inúmeros órgãos de comunicação dentro e fora do país,  buscando, finalmente, denunciar e encerrar toda essa podridão construída, a qual faz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um refém do Estado brasileiro", diz o PT-SP.

Leia a íntegra da nota:

Lula livre já! 

O Setorial Jurídico do Partido dos Trabalhadores do Estado de São Paulo vem a público manifestar sua posição de  indignação com a decisão de transferência do presidente Lula para uma unidade prisional no Estado de São Paulo.

É público e notório diante de tudo que, baseados nos fatos expostos para toda a sociedade brasileira, a prisão do presidente Lula esta fundada em um processo eivado de gravíssimos vícios e ilegalidades, praticadas por um juiz, hoje ministro e outros membros do judiciário, que tinham desejo real de alterar o resultado do processo eleitoral do país, e agora resta comprovado para todo o país.

Tal medida tem todas as características e evidências demonstram a finalidade em humilhar a figura do maior líder político da história recente do Brasil, preso ilegalmente, além de trazer à tona um debate desnecessário, utilizando da figura do ex-presidente para jogar uma cortina de fumaça em toda ilegalidade que vem sendo praticada pelos membros do judiciário envolvidos na trama, para assim, garantir a prisão do ex-presidente. Não se trata de uma medida de urgência e tão pouco estão os órgãos responsáveis considerando a segurança do nosso presidente Lula.

Os fatos são graves e nesse momento vamos nos mobilizar para de todas as formas possíveis, dentro da esfera jurídica, e na mobilização da sociedade, para colocar fim em mais esta ação atabalhoada dos membros do judiciário que atuam e pactuam com todas as arbitrariedades corajosamente denunciadas pelo Intercept Brasil e veiculada por inúmeros órgãos de comunicação dentro e fora do país,  buscando, finalmente, denunciar e encerrar toda essa podridão construída, a qual faz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um refém do Estado brasileiro.

São Paulo, 07 de Agosto de 2019.

Setorial Jurídico do Partido dos Trabalhadores do Estado de SP

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247