Sócio de Janot em escritório decide romper sociedade após declarações

Márcio Elias Rosa, o ex-procurador-geral de Justiça de São Paulo, resolveu romper a sociedade que tinha com o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot em um escritório de advocacia, aberto há quatro meses

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A declaração o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot de que chegoua ir armado ao Supremo Tribunal Federal com o objetivo de matar o ministro Gilmar Mendes já começa a ter efeito prático. Márcio Elias Rosa, o ex-procurador-geral de Justiça de São Paulo, resolveru romper a sociedade que tinha com o ex-chefe da PGR em um escritório de advocacia, aberto há quatro meses. A informação é da coluna de Guilherme Amado, de Época. 

Em maio de 2017, Janot pediu o impedimento de Gilmar na análise de um habeas corpus de Eike Batista e argumentou que a mulher do ministro, Guiomar Mendes, atuava no escritório Sérgio Bermudes, que advogava para o empresário.

Ao se defender, Gilmar afirmou que a filha de Janot – Letícia Ladeira Monteiro de Barros – advogava para a empreiteira OAS em processo no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). De acordo com o ministro, a filha do ex-PGR poderia na época “ser credora por honorários advocatícios de pessoas jurídicas envolvidas na Lava Jato”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email