STJ nega habeas corpus a ex-assessor de Cabral

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, entendeu que Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, representa risco à ordem pública porque está envolvido em "reiteradas condutas de altíssimo grau de reprovabilidade"; o ex-assessor é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de bens do peemedebista, dentre eles um helicóptero e uma lancha avaliada em R$ 5 milhões


A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, entendeu que Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, representa risco à ordem pública porque está envolvido em "reiteradas condutas de altíssimo grau de reprovabilidade"; o ex-assessor é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de bens do peemedebista, dentre eles um helicóptero e uma lancha avaliada em R$ 5 milhões
A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, entendeu que Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, representa risco à ordem pública porque está envolvido em "reiteradas condutas de altíssimo grau de reprovabilidade"; o ex-assessor é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de bens do peemedebista, dentre eles um helicóptero e uma lancha avaliada em R$ 5 milhões (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, negou o pedido de liberdade feito a Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, como mostrou o RJTV deste sábado (24).

Ao pedir habeas corpus, defesa argumentou que ele não representava riscos à investigação e pediu a conversão da prisão em medidas cautelares, como prisão domiciliar.

A ministra entendeu o ex-assessor representa risco à ordem pública porque está envolvido em "reiteradas condutas de altíssimo grau de reprovabilidade".

Magalhães foi preso no mês passado na Operação Calicute, que também prendeu Cabral sob a suspeita de ter cobrado propina de empreiteiras durante o período em que comandou o governo do Rio.

O ex-assessor é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de bens do peemedebista, dentre eles um helicóptero e uma lancha avaliada em R$ 5 milhões.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247