‘Um governo com 3% de aprovação não pode impor uma reforma que destruirá 97% da população’

Em dia de protesto no Congresso Nacional contra a reforma da previdência, rejeitada pela maioria da população, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou em sua conta no Twitter que Michel Temer e a "turma golpista do PSDB e DEM não têm moral" para defender uma proposta "que acaba com o direito do povo brasileiro de se aposentar pelo sistema público!"; "Um governo com 3% de aprovação não pode impor uma reforma da previdência que vai destruir a vida de 97% da população!"

Em dia de protesto no Congresso Nacional contra a reforma da previdência, rejeitada pela maioria da população, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou em sua conta no Twitter que Michel Temer e a "turma golpista do PSDB e DEM não têm moral" para defender uma proposta "que acaba com o direito do povo brasileiro de se aposentar pelo sistema público!"; "Um governo com 3% de aprovação não pode impor uma reforma da previdência que vai destruir a vida de 97% da população!"
Em dia de protesto no Congresso Nacional contra a reforma da previdência, rejeitada pela maioria da população, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou em sua conta no Twitter que Michel Temer e a "turma golpista do PSDB e DEM não têm moral" para defender uma proposta "que acaba com o direito do povo brasileiro de se aposentar pelo sistema público!"; "Um governo com 3% de aprovação não pode impor uma reforma da previdência que vai destruir a vida de 97% da população!" (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Em dia de protesto no Congresso Nacional contra a reforma da previdência, rejeitada pela maioria da população, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou em sua conta no Twitter que Michel Temer e a "turma golpista do PSDB e DEM não têm moral" para defender uma proposta "que acaba com o direito do povo brasileiro de se aposentar pelo sistema público!".

"Um governo com 3% de aprovação não pode impor uma reforma da previdência que vai destruir a vida de 97% da população!", complementou o petista.

O governo ainda está com dificuldades de obter votos para aprovar o projeto. Informações evacuadas pela imprensa dão conta de que a gestão trabalho com o prazo de até este mês que a proposta seja aprovada. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou, durante evento no Rio, que a reforma da previdência pode passar de fevereiro.

Um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, divulgado no mês passado, apontou que 66% dos brasileiros são contrários ao projeto. Segundo os dados,  62% da população considera a reforma desnecessária, contra 28,9% que afirmam ser preciso mudar o sistema atual.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247