Voto feminino terá papel decisivo para definir segundo turno no Rio

Representando 55% do eleitorado da cidade do Rio de Janeiro, as mulheres terão papel decisivo na disputa municipal

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Levantamento feito pelo Datafolha aponta que o eleitorado feminino será decisivo na disputa eleitoral da reta final no Rio de Janeiro, uma vez que representam 55% do eleitorado da cidade.

Em 2016, a última semana de campanha começou com 40% das cariocas declarando que o voto poderia mudar e por isso elas podem definir o segundo turno agora em 2020.

Esse percentual é o mesmo apontando entre aqueles que não sabiam declarar o nome do candidato em quem votaria na pesquisa espontânea em que os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor.

De acordo com os dados, o prefeito Marcelo Crivella, candidato à reeleição, conseguiu conter o derretimento da campanha por conta da inserção no eleitorado feminino. Na comparação com levantamento de 22 de outubro, o candidato do Republicanos cresceu seis pontos percentuais no segmento, passando de 9% para 15%.

A inserção da imagem da primeira-dama e de sua vice, a tenente coronel do Exército, Andrea Firmo, buscou dialogar com esse eleitorado feminino, cujo índice de rejeição era maior do que o registrado entre os homens.

Eduardo Paes (DEM)também buscou atrair esse eleitorado e cresceu cinco pontos, de 30% para 35%. Na campanha, o hoje líder nas pesquisas passou a admitir erros do passado, temendo a pecha de machista, e tem direcionado publicações em suas redes sociais para esse público.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247