Advogados da Lava Jato tentam tirar processos do Paraná

Após a decisão do STF de fatiar as ações, criminalistas devem optar pela propositura de reclamações na Corte para retirar do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, a relatoria de investigações que começaram na Lava Jato, mas não tem conexão direta com o esquema da Petrobras; ontem, a defesa do empreiteiro José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, pediu relaxamento da prisão preventiva amparada na decisão do STF

Após a decisão do STF de fatiar as ações, criminalistas devem optar pela propositura de reclamações na Corte para retirar do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, a relatoria de investigações que começaram na Lava Jato, mas não tem conexão direta com o esquema da Petrobras; ontem, a defesa do empreiteiro José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, pediu relaxamento da prisão preventiva amparada na decisão do STF
Após a decisão do STF de fatiar as ações, criminalistas devem optar pela propositura de reclamações na Corte para retirar do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, a relatoria de investigações que começaram na Lava Jato, mas não tem conexão direta com o esquema da Petrobras; ontem, a defesa do empreiteiro José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, pediu relaxamento da prisão preventiva amparada na decisão do STF (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Motivados pela decisão do Supremo Tribunal Federal de fatiar as ações, criminalistas que atuam na Lava Jato devem optar pela propositura de reclamações na Corte para retirar do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, a relatoria de investigações que começaram na operação, mas não tem conexão direta com o esquema da Petrobras.

Ontem, a defesa do empreiteiro José Antunes Sobrinho, um dos sócios da Engevix, pediu relaxamento da prisão preventiva amparada na decisão do STF.

Para reforçar sua tese a defesa do empreiteiro juntou ao pedido o voto do ministro Dias Toffolli, do STF, pela separação dos autos, no caso da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), suspeita de fraude no Ministério do Planejamento.

Leia aqui na reportagem de Juliano Basile sobre o assunto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247