Bancada federal se rebela contra calotes de Richa

Cresce entre a insatisfação da bancada federal do Paraná com o governador Beto Richa (PSDB), que anunciou que não cumpriria acordos salariais com educadores e servidores públicos em virtude da renegociação da dívida dos estados; ao menos sete deputados ficaram do lado do funcionalismo; O peemedebista João Arruda (à esq.), Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT), Christiane Yared (PR), Enio Verri (PT), Marcelo Belinati (PP) e Zeca Dirceu (PT) tiveram coragem de dizer "não" para mais um calote de Richa

Cresce entre a insatisfação da bancada federal do Paraná com o governador Beto Richa (PSDB), que anunciou que não cumpriria acordos salariais com educadores e servidores públicos em virtude da renegociação da dívida dos estados; ao menos sete deputados ficaram do lado do funcionalismo; O peemedebista João Arruda (à esq.), Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT), Christiane Yared (PR), Enio Verri (PT), Marcelo Belinati (PP) e Zeca Dirceu (PT) tiveram coragem de dizer "não" para mais um calote de Richa
Cresce entre a insatisfação da bancada federal do Paraná com o governador Beto Richa (PSDB), que anunciou que não cumpriria acordos salariais com educadores e servidores públicos em virtude da renegociação da dívida dos estados; ao menos sete deputados ficaram do lado do funcionalismo; O peemedebista João Arruda (à esq.), Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT), Christiane Yared (PR), Enio Verri (PT), Marcelo Belinati (PP) e Zeca Dirceu (PT) tiveram coragem de dizer "não" para mais um calote de Richa (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Esmael - Cresce entre a insatisfação da bancada federal do Paraná com o governador Beto Richa (PSDB), que semana passada anunciou que não cumpriria acordos salariais com educadores e servidores públicos em virtude da renegociação da dívida dos estados. Ao menos sete deputados ficaram do lado do funcionalismo.

Aliel Machado (Rede), Assis do Couto (PDT), Christiane Yared (PR), Enio Verri (PT),João Arruda (PMDB), Marcelo Belinati (PP) e Zeca Dirceu (PT) tiveram coragem de dizer “não” para mais um calote de Richa.

Pois bem, parte da bancada na Câmara cortou o mal pela raiz votando contra o pedido de urgência para a matéria — pedida pelo interino Michel Temer (PMDB). Portanto, a primeira derrota do golpista também significou uma derrota no caloteiro Beto Richa.

Ou seja, Temer quer que educadores e servidores públicos paranaense paguem parte da conta do impeachment.

O deputado João Arruda gravou um vídeo sobre essa questão logo após a votação; assista abaixo:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247