Boulos: Vaza Jato ‘abre caminho para que se faça Justiça’

Após visita ao ex-presidente Lula, o líder do MTST, Guilherme Boulos, diz ainda que o ministro Sérgio Moro, que foi nesta quarta ao Senado, 'não tem moral para falar de vazamentos nem de privacidade'

Guilherme Boulos visita Lula
Guilherme Boulos visita Lula (Foto: Eduardo Matysiak)

247 - No dia em que completa 37 anos, o líder do MTST e candidato do PSOL à presidência em 2018, Guilherme Boulos se reencontrou com o ex-presidente Lula nesta quinta-feira 19 e cobrou que se "faça Justiça", especialmente após o vazamento das conversas da Lava Jato pelo site The Intercept.

“Sempre é bom ver provado o que falávamos e muitos não acreditavam. Diziam que era teoria da conspiração. ‘Moro é parcial, partidário’, dizíamos. Diziam que não, que houve outras instâncias, que também prenderam o Cunha. Agora essas mesmas pessoas que diziam isso não abrem mais o bico. Agora está provado por A mais B", declarou.

Sobre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que esteve no Senado ao longo do dia para tentar explicar as conversas vazadas, Boulos disse que "teve gostinho de provar o próprio veneno" e que "não tem moral de falar de vazamento nem privacidade”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à fala de Boulos:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247