Clubes desafiam Globo, mas jogo é suspenso

O clássico paranaense entre Atlético e Coritiba poderia marcar o início de uma revolução no futebol brasileiro, com a primeira transmissão pelo Youtube, e não pela Globo; no entanto, por determinação da Federação Paranaense de Futebol, aliada à emissora, o jogo foi suspenso, sob protesto de jogadores e torcedores, que tiveram que abandonar o estádio; Globo mostrou seu domínio sobre o futebol nacional, mas a reação pode crescer; “Eu queria explicar para as duas torcidas: Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar. É um direito nosso”, disse o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann

O clássico paranaense entre Atlético e Coritiba poderia marcar o início de uma revolução no futebol brasileiro, com a primeira transmissão pelo Youtube, e não pela Globo; no entanto, por determinação da Federação Paranaense de Futebol, aliada à emissora, o jogo foi suspenso, sob protesto de jogadores e torcedores, que tiveram que abandonar o estádio; Globo mostrou seu domínio sobre o futebol nacional, mas a reação pode crescer; “Eu queria explicar para as duas torcidas: Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar. É um direito nosso”, disse o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann
O clássico paranaense entre Atlético e Coritiba poderia marcar o início de uma revolução no futebol brasileiro, com a primeira transmissão pelo Youtube, e não pela Globo; no entanto, por determinação da Federação Paranaense de Futebol, aliada à emissora, o jogo foi suspenso, sob protesto de jogadores e torcedores, que tiveram que abandonar o estádio; Globo mostrou seu domínio sobre o futebol nacional, mas a reação pode crescer; “Eu queria explicar para as duas torcidas: Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar. É um direito nosso”, disse o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Esmael Morais

Deu chabu no Atletiba. O jogo entre Coritiba e Atlético foi suspenso neste domingo (19), em Curitiba, e terminou em protesto das duas torcidas contra a Globo.

O diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, em entrevista, acusou de “arbitrárias” a RPC/Globo e a Federação Paranaense de Futebol que proibiram hoje a transmissão do clássico Atletiba pelo Youtube.

“Eu queria explicar para as duas torcidas. Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC e a TV Globo quiseram nos pagar. É um direito nosso”, fuzilou o dirigente.

A turma do prefeito de Curitiba Rafael Greca não perdeu a oportunidade para espezinhar o conselheiro Ivan Bonilha: “foi coisa da Tribunal de Contas do Estado!”

Não foi o TCE.

O judiciário concedeu liminar contra a transmissão no Youtube atendendo a FPF e a Globo.

Os dois times deram às mãos no centro do campo ao anunciar a suspensão do jogo.

As torcidas de ambas as equipes aplaudiram os atletas.

Assista à confusão (a partir de 29 minutos):


Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247