'Coração generoso' de Moro absolveu Cláudia Cruz, diz procurador

O procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou que o órgão recorrerá da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do crime de lavagem de dinheiro; “Nós sabemos que parte desses valores [propina recebida por Cunha] foi utilizado por Cláudia para comprar bens de alto valor. Acredito que isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso de Moro, que a absolveu por ser esposa de um criminoso, ligado a corrupção”, disse Lima durante coletiva de imprensa

O procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou que o órgão recorrerá da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do crime de lavagem de dinheiro; “Nós sabemos que parte desses valores [propina recebida por Cunha] foi utilizado por Cláudia para comprar bens de alto valor. Acredito que isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso de Moro, que a absolveu por ser esposa de um criminoso, ligado a corrupção”, disse Lima durante coletiva de imprensa
O procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou que o órgão recorrerá da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cruz, esposa do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do crime de lavagem de dinheiro; “Nós sabemos que parte desses valores [propina recebida por Cunha] foi utilizado por Cláudia para comprar bens de alto valor. Acredito que isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso de Moro, que a absolveu por ser esposa de um criminoso, ligado a corrupção”, disse Lima durante coletiva de imprensa (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - O procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou nesta sexta-feira (26) que o órgão recorrerá da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cruz, esposa do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do crime de lavagem de dinheiro.

Segundo Lima, parte dos valores de propina denunciados na 41ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta, chegou indiretamente à jornalista devido ao dinheiro destinado para Cunha.

“Nós sabemos que parte desses valores [propina recebida por Cunha] foi utilizado por Cláudia para comprar bens de alto valor. Acredito que isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso de Moro, que a absolveu por ser esposa de um criminoso, ligado a corrupção”, disse ele durante coletiva de imprensa.

O procurador Lima defendeu a condenação da jornalista. “É ausente qualquer justificativa de ganhos desses valores do marido, que nada mais era do que deputado federal, com ganhos limitados. Ela tinha indicativos e conhecimentos culturais para saber que os valores eram frutos de dinheiro ilícito”, defendeu. “O gastá-lo ela cometeu o crime de lavagem. O ato dela não é justificável, é criminoso”, ressaltou.

De acordo com o MPF, a jornalista também recebeu no exterior dinheiro de outras contas controladas por Cunha. O valor do contrato investigado era de US$ 34,5 milhões.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247