Curitiba tem novo sistema de alerta de riscos

Lançado pelo prefeito Gustavo Fruet, o novo sistema de alerta tem como objetivo prevenir, evitar, reduzir e preparar a cidade para enfrentar desastres, com a cooperação de diversos órgãos, como Cindacta II; foi elaborado um protocolo a ser seguido nas situações de processos climáticos perigosos que atingem níveis de atenção e/ou alerta; "Não há como chegar no século 21 sem ter a informação precisa das áreas mais vulneráveis, dos locais perigosos e que precisam de intervenção imediata. Esse sistema permite medidas para evitar impactos maiores", disse Fruet

Lançado pelo prefeito Gustavo Fruet, o novo sistema de alerta tem como objetivo prevenir, evitar, reduzir e preparar a cidade para enfrentar desastres, com a cooperação de diversos órgãos, como Cindacta II; foi elaborado um protocolo a ser seguido nas situações de processos climáticos perigosos que atingem níveis de atenção e/ou alerta; "Não há como chegar no século 21 sem ter a informação precisa das áreas mais vulneráveis, dos locais perigosos e que precisam de intervenção imediata. Esse sistema permite medidas para evitar impactos maiores", disse Fruet
Lançado pelo prefeito Gustavo Fruet, o novo sistema de alerta tem como objetivo prevenir, evitar, reduzir e preparar a cidade para enfrentar desastres, com a cooperação de diversos órgãos, como Cindacta II; foi elaborado um protocolo a ser seguido nas situações de processos climáticos perigosos que atingem níveis de atenção e/ou alerta; "Não há como chegar no século 21 sem ter a informação precisa das áreas mais vulneráveis, dos locais perigosos e que precisam de intervenção imediata. Esse sistema permite medidas para evitar impactos maiores", disse Fruet (Foto: Leonardo Lucena)

Notícias Paraná - A Prefeitura de Curitiba passa a seguir um novo Sistema de Alerta e Gestão de Risco – Curitiba Resiliente. Lançado nesta quarta-feira (11) pelo prefeito Gustavo Fruet, em evento no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o novo sistema de alerta tem como objetivo prevenir, evitar, reduzir e preparar a cidade para enfrentar desastres, com a cooperação de diversos órgãos, como Cindacta II.

Para isso foi elaborado um protocolo a ser seguido nas situações de processos climáticos perigosos que atingem níveis de atenção e/ou alerta. Foram definidos quatro níveis: verde (chuvas acumuladas de até 40 mm e ventos até 50 km/h), amarelo (chuvas acumuladas nas últimas 12 horas entre  40 mm e 70 mm com ventos entre 50 km/h e 60 km/h), laranja  (chuvas entre 70mm e 100 mm com ventos entre 60 e 90 km/hora) e vermelho (chuvas acumuladas nas últimas 12 horas acima de 150 mm e ventos acima de 90 km/h).

“Não há como chegar no século 21 sem ter a informação precisa das áreas mais vulneráveis, dos locais perigosos e que precisam de intervenção imediata. Esse sistema permite medidas para evitar impactos maiores”, disse Fruet.

O secretário municipal de meio ambiente, Renato Lima, explica que, segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), o alerta antecipado é o fornecimento de informações, através de pessoas e instituições identificadas, para que indivíduos expostos a uma ameaça tomem ações em tempo suficiente para evitar ou reduzir seus riscos e se prepararem  para uma resposta efetiva.

O sistema de Curitiba é baseado na redução do risco através da ação conjunta e do conhecimento da área e dos processos naturais perigosos, planejamento do território, orientação de obras, orientação de atividade e ação integrada das forças sociais.

O novo sistema de alerta e gestão de risco da cidade atua com ferramentas como os 11 pluviômetros instalados em 2014 em vários pontos da cidade, mapas de risco de inundações de bacias hidrográficas e manejo dos reservatórios de água da chuva dos parques Barigui, São Lourenço e Guairacá.

Claudio Renato Wojcikiewicz, diretor do departamento de gestão de risco da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, afirma que a criação do sistema foi possível através da formação de várias parcerias. “O trabalho conjunto é fundamental. Firmamos parcerias com o Cindacta II, Cemaden, Defesa Civil do Estado e ações integrada com as secretarias municipais de  Defesa Social, Trânsito e Comunicação Social”, disse.

“O sistema meteorológico é vital para a aviação e nosso serviço é focado em determinadas regiões e isso possibilita uma informação meteorológica mais precisa. Essa parceria foi firmada para que assim que ocorram eventos fora do normal possamos passar um alerta para o Município. Estamos satisfeito em poder colaborar para a comunidade de Curitiba”, diz comandante do Cindacta II, Coronel Aviador José Vagner Vital.

*Com SMCS

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247