Delação na Operação Quadro Negro preocupa governo Richa

A delação premiada que o proprietário da Valor Construtora Eduardo Lopes de Souza fez deu ‘frouxo intestinais’ em metade da Assembleia Legislativa e no Palácio Iguaçu; segundo advogados que acompanham de perto o caso, tem potencial para derrubar tucano de alta plumagem no governo do estado e no legislativo; as investigações da Operação Quadro Negro apontaram que mais de R$ 50 milhões foram desviados da construção de escolas para campanhas eleitorais do governador Beto Richa (PSDB) e de deputados estaduais, dentre eles o presidente da Assembleia Ademar Traiano (PSDB) e o 1º Secretário Plauto Miró Guimarães (DEM)

Caldas Novas- GO- Brasil- 13/04/2015- O governador do Paraná, Beto Richa, durante visita do ministro da pesca e aquicultura, Helder barbalho. Foto: Orlando Kissner/ Fotos Públicas
Caldas Novas- GO- Brasil- 13/04/2015- O governador do Paraná, Beto Richa, durante visita do ministro da pesca e aquicultura, Helder barbalho. Foto: Orlando Kissner/ Fotos Públicas (Foto: Leonardo Lucena)

Blog do Esmael - A delação premiada que o proprietário da Valor Construtora Eduardo Lopes de Souza fez na última sexta-feira (3) deu ‘frouxo intestinais’ em metade da Assembleia Legislativa e no Palácio Iguaçu inteiro.

O Blog do Esmael ainda não teve acesso aos detalhes do depoimento do empreiteiro, mas, segundo advogados que acompanham de perto o caso, tem potencial para derrubar tucano de alta plumagem no governo do estado e no legislativo.

A ação principal da Operação Quadro Negro teve a competência deslocada da Justiça Estadual para a Justiça Federal do Paraná, em setembro de 2016, haja vista que a roubalheira também atingiu os cofres da União.

Segundo investigações da Operação Quadro Negro, mais de R$ 50 milhões foram desviados da construção de escolas para campanhas eleitorais do governador Beto Richa (PSDB) e de deputados estaduais, dentre eles o presidente da Assembleia Ademar Traiano (PSDB) e o 1º Secretário Plauto Miró Guimarães (DEM).

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni (PSDB) também entrou na marca do pênalti depois de a Folha de S. Paulo revelar, em 20 de fevereiro, que ele dividia escritório com empresas investigadas no âmbito da Operação Quadro Negro.

Segundo o Ministério Público, o tucano fazia pressão para que obras não concluídas nas escolas fossem pagas pelo governo do estado.

O governador Beto Richa já é réu no STJ em ação penal relativa à corrupção na Receita Estadual que gerou prejuízo de R$ 1,8 bilhão ao erário.

Nesta segunda-feira (6), o deputado Requião Filho (PMDB) adianta que retomará a discussão sobre a instalação da CPI da Corrupção. De acordo com o parlamentar, falta apenas a assinatura do deputado Ney Leprevost (PSD) para atingir as 18 necessárias regimentalmente (1/3).

O Blog do Esmael registrou em primeira mão, há quase dois anos, o escândalo e a consequente queda da cúpula da Educação do Paraná.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247