Delator tinha ‘cláusula de sucesso’ na lava jato

O delator Alberto Youssef tinha 'cláusula de sucesso' na lava jato; pérola foi descoberta nessa sexta-feira (16) pelo advogado Cristiano Zanin Martins, da defesa de Lula, durante interrogatório do doleiro; pela cláusula de performance, Yossuef tinha direito a 1/50 avos do patrimônio recuperado pela força-tarefa no Brasil e no exterior; delator jurou durante o depoimento que abriu mão da 'taxa de sucesso', mas, estranhamente, os aditivos não constavam nos autos

Doleiro Alberto Youssef na CPI da Petrobrás durante acareação com o ex-­diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Doleiro Alberto Youssef na CPI da Petrobrás durante acareação com o ex-­diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

Por Esmael Morais, em seu blog - O delator Alberto Youssef tinha ‘cláusula de sucesso’ na lava jato. A pérola foi descoberta nessa sexta-feira (16) pelo advogado Cristiano Zanin Martins, da defesa de Lula, durante interrogatório do doleiro. Abaixo, assista ao vídeo.

Pela cláusula de performance, Yossuef tinha direito a 1/50 avos do patrimônio recuperado pela força-tarefa no Brasil e no exterior.

O delator jurou durante o depoimento que abriu mão da ‘taxa de sucesso’, mas, estranhamente, os aditivos não constavam nos autos.

Portanto, a ‘delação premiada’ literalmente é ‘premiada’. Por exemplo, se a lava jato recuperasse R$ 2 bilhões, Yossef teria direito a R$ 40 milhões.

Alberto Youssef e o ex-presidente da Camargo Corrêa, Dalton dos Santos Avancini, ambos delatores da lava jato, forma ouvidos no caso do sítio de Atibaia (SP). Eles disseram desconhecer a realização de obras no imóvel a pedido do ex-presidente Lula.

Sobre a ‘taxa de desempenho’ nas delações, é ver para crer. Assista ao vídeo:

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247