Dias vê negligência em jogo de Atlético-PR e Vasco

“As autoridades responsáveis, pelo que se verificou após o evento de Joinville, não leram o Estatuto do Torcedor; O responsável pela Polícia Militar de Santa Catarina não leu o Estatuto do Torcedor; O Ministério Público não leu o Estatuto do Torcedor - afirmou o parlamentar”, disse o senador do PSDB-PR

Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) diz que há leis para coibir a violência das torcidas nos estádios de futebol
Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) diz que há leis para coibir a violência das torcidas nos estádios de futebol (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - A ausência de força policial no interior do estádio durante a partida entre Atlético Paranaense e Vasco da Gama, válida pelo Campeonato Brasileiro, foi criticada pelo senador Alvaro Dias (PSDB-PR) nesta quinta-feira (12). O jogo foi interrompido por uma pancadaria entre as torcidas, que deixou vários feridos. Alvaro Dias responsabilizou as autoridades públicas catarinenses. Ele observou que faltou à Secretaria de Segurança Pública do estado de Santa Catarina determinar à Polícia Militar que fizesse a segurança do evento, conforme está determinado noEstatuto do Torcedor.

- As autoridades responsáveis, pelo que se verificou após o evento de Joinville, não leram o Estatuto do Torcedor.

O responsável pela Polícia Militar de Santa Catarina não leu o Estatuto do Torcedor. O Ministério Público não leu o Estatuto do Torcedor - afirmou o parlamentar.

- A legislação é clara. O Estatuto do Torcedor é claro: o Estado é responsável pela segurança dos torcedores dentro e fora dos estádios e demais locais da realização de eventos esportivos. Portanto, ao clube patrocinador cabe informar. Não é da competência do clube realizar a segurança. Ele informa à Secretaria de Segurança do estado onde será realizado o evento esportivo - disse Alvaro Dias, que lembrou a CPI do Futebol, proposta por ele em 2001. A Comissão Parlamentar de Inquérito, ressaltou o senador, resultou no indiciamento de 17 cartolas por diversas irregularidades e produziu duas leis: o Estatuto do Torcedor e a Lei de Responsabilidade do Desporto Nacional.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247