Docentes de universidades suspendem greve no Paraná

Professores e agentes de cinco das sete universidades estaduais do Paraná suspenderam a greve que durava cerca de um mês; os servidores, docentes e técnicos, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) foram os primeiros a decidir pela suspensão do movimento, por prazo indeterminado

Professores e agentes de cinco das sete universidades estaduais do Paraná suspenderam a greve que durava cerca de um mês; os servidores, docentes e técnicos, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) foram os primeiros a decidir pela suspensão do movimento, por prazo indeterminado
Professores e agentes de cinco das sete universidades estaduais do Paraná suspenderam a greve que durava cerca de um mês; os servidores, docentes e técnicos, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) foram os primeiros a decidir pela suspensão do movimento, por prazo indeterminado (Foto: Leonardo Lucena)

Agência de Notícias do Paraná - Professores e agentes de cinco das sete universidades estaduais do Paraná suspenderam a greve que durava cerca de um mês. Os servidores, docentes e técnicos, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) foram os primeiros a decidir pela suspensão do movimento, por prazo indeterminado, na última segunda-feira (9).

O Sindicato dos Professores e Técnicos da UEPG (Sintespo) decidiu suspender a greve da categoria na tarde de quarta-feira (11). Segundo o presidente do sindicato, Emerson Barbosa, a decisão foi unânime.

O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, ressaltou o empenho do governo na manutenção do diálogo com os representantes dos sindicatos dos servidores das universidades para que as atividades acadêmicas e administrativas das IEES sejam retomadas. "O nosso sistema de ensino superior se destaca no país e estivemos sempre juntos na luta pelos avanços e conquistas", disse.

A maioria dos 11 sindicatos que representam os docentes e agentes universitários das universidades estaduais realizou as assembleias nesta quinta-feira (12).

A assembleia da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg) também definiu por interromper a paralisação na manhã desta quinta-feira (12). Em reunião o Conselho Universitário decidiu iniciar as aulas nesta segunda-feira (16). Pelo novo calendário letivo as aulas vão até 19 de dezembro, com apenas uma semana de recesso em julho. A greve, na UEPG, começou no dia 10 de fevereiro.

Os servidores técnico-administrativos da UEL incluindo os do Hospital Universitário decidiram suspender a greve iniciada há 30 dias e o retorno às atividades está previsto para esta sexta-feira (13), mas alguns setores retornam na segunda-feira (16). Os docentes adiaram a decisão de permanecer ou não em greve para a próxima quarta-feira (18), em nova assembleia.

O comando do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol/Aduel) enfatizou que, até lá, prosseguem as negociações e as atividades dos grevistas. A situação é a mesma para docentes da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) que são representados pelo mesmo sindicato.

Segundo a reitoria Fátima Aparecida da Cruz Padoan, os agentes universitários da UENP não entraram em greve e seguem com suas atividades normais. Também não houve prejuízo aos alunos do curso de Direito já que os docentes não aderiram à paralisação. Uma reunião do Conselho Universitário está marcada para esta segunda-feira (16) para novas deliberações.

Em Maringá, a reitoria e o Conselho Universitário já haviam decidido em reunião que dependendo do resultado das assembleias dos servidores as aulas poderiam iniciar na segunda-feira (16). O que ficou definido após a decisão da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Maringá (Sesduem) que suspendeu o movimento nesta quinta-feira, confirmando a decisão do Sinteemar. Nesta sexta-feira (13) a UEM divulga o ensalamento e horários provisórios de aula que valem a partir da próxima semana, até que ocorra a reunião do Conselho Unviersitário para definição do Calendário Letivo.

Com a suspensão da greve definida em assembleia nesta quinta-feira (12) pelos Sindicatos dos Docentes da Universidade Estadual do Oeste (Adunioeste) e dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Superior do Oeste do Paraná (Sinteoeste), o calendário letivo deve ser definido em uma reunião que será realizada nesta sexta-feira (13), dos Conselhos. Os agentes universitários e servidores do Hospital Universitário voltam às atividades nesta sexta-feira.

Os professores da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) suspenderam a paralisação. Já a assembleia dos agentes universitários acontece na manhã desta sexta-feira (13). A reunião do Conselho Universitário ocorrerá no início da semana que vem. 

A assembleia do Sindunespar, que representa a Universidade Estadual do Paraná (Unespar), acontecerá nesta sexta-feira (13). Em comunicado oficial, divulgado na quarta-feira (11), a Pro-Reitoria de Ensino de Graduação (Prograd) afirma que está preparada para o início oficial do ano letivo. Segundo o pró-reitor Mário de Athayde Cândido o calendário acadêmico de 2015 já está finalizado, basta somente a divulgação e, posteriormente, a homologação por parte dos Colegiados Superiores. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247