Estudantes do Paraná: Richa é “pilantra e corrupto”

Em vídeo, alunos do Colégio Estadual Basílio Vicente de Castro (Curitiba) citam poema de Bertold Brecht e dizem que do analfabeto político nasce o "pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais", depois que o governador Beto Richa (PSDB) chamou de "politizado" o movimento de ocupação nas 350 escolas no Estado contrário à MP do Ensino Médio e à PEC 241, do governo Temer, que tem o PSDB na base aliada; crise na educação piora com greve dos professores; pressão sobre Richa aumenta; assista

Em vídeo, alunos do Colégio Estadual Basílio Vicente de Castro (Curitiba) citam poema de Bertold Brecht e dizem que do analfabeto político nasce o "pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais", depois que o governador Beto Richa (PSDB) chamou de "politizado" o movimento de ocupação nas 350 escolas no Estado contrário à MP do Ensino Médio e à PEC 241, do governo Temer, que tem o PSDB na base aliada; crise na educação piora com greve dos professores; pressão sobre Richa aumenta; assista
Em vídeo, alunos do Colégio Estadual Basílio Vicente de Castro (Curitiba) citam poema de Bertold Brecht e dizem que do analfabeto político nasce o "pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais", depois que o governador Beto Richa (PSDB) chamou de "politizado" o movimento de ocupação nas 350 escolas no Estado contrário à MP do Ensino Médio e à PEC 241, do governo Temer, que tem o PSDB na base aliada; crise na educação piora com greve dos professores; pressão sobre Richa aumenta; assista (Foto: Leonardo Lucena)

247, com Blog do Esmael - O governador Beto Richa (PSDB), que acusou de ser “politizado” o movimento de ocupação nas 350 escolas no Paraná, levou mais uma invertida dos estudantes. Alunos do Colégio Estadual Basílio Vicente de Castro, de Curitiba, produziram um vídeo sobre a ocupação da escola e aproveitaram para dar uma “sabugada” nos analfabetos políticos — dentre os quais Beto Richa. Eles declamam, em jogral, poema do dramaturgo alemão Bertold Brecht para “desenhar” o a situação.

Um dos jovens chama o tucano de "corrupto e ladrão". Vale ressaltar que o governo Richa está sendo investigada pela Operação Quadro Negro, que apura irregularidades em pagamentos de obras de construção e reforma de escolas da rede estadual de ensino. Segundo a última estimativa do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR), a fraude atingiu o montante de R$ 30 milhões, com o suposto envolvimento de, ao menos, três construtoras.

Três pessoas investigadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) mencionaram o nome de Richa. De acordo com uma delas, a assessora jurídica da construtora Valor, Úrsulla Andrea Ramos, a campanha de reeleição do governador e a de outros três candidatos a deputado estadual receberam recursos de dinheiro público, que deveria ter sido gasto em obras em escolas estaduais.

"Esse dinheiro não ficou comigo, esse dinheiro foi feito repasse pra campanha do governador Beto Richa e pra essas três campanhas. Foi o que ele (Eduardo Lopes de Souza, dono da Valor) me disse", disse Úrsulla, em delação premiada ao MP-PR. As campanhas mencionadas seriam a do filho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Durval Amaral, Ademar Traiano (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa (Alep); o deputado estadual Tiago Amaral (PSB); e a de Plauto Miró (DEM). 

O governador do PSDB, como linha de defesa, se agarra no mantra da “politização” das manifestações na Educação — tanto as estudantis quanto as dos educadores que entrarão em greve na segunda-feira, dia 17.

 

Leia o poema de Bertold Brecht:

O Analfabeto Político

O pior analfabeto é o analfabeto político.

Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.

Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

Reivindicações

A MP prevê ampliação da carga horária do ensino médio para 1.400 horas - atualmente são 800, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). A MP prevê redução da carga das disciplinas obrigatórias, dentre elas filosofia e sociologia, e aumento da carga cinco áreas de conhecimento, de acordo com a escolha do aluno: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

Críticos do projeto defendem que a proposta visa estimular mais a formação voltada para o mercado do que a formação crítica, reflexiva. Também entendem que o projeto, ao fomentar a formação "mercadológica", tem como objetivo favorecer empresas de educação do setor privado, especialmente as de cursos técnico.

Os defensores do projeto afirmam que, ao dar ao aluno a opção de focar mais em uma das cinco áreas de conhecimento, gradualmente o País terá menos precariedade de formação que atenda ao mercado.

A classe estudantil também é contra à PEC 241, que congela investimentos pelos próximos 20 anos. A proposta prevê que, neste período, os gastos públicos de um sejam equivalentes aos do ano anterior corrigidos pela inflação.

As ocupações nas escolas do Paraná se somam a uma greve dos professores do ensino básico e das universidades do Estado. Os docentes são contra o pedido oficial do governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa para que os deputados estaduais aprovem mudanças em uma lei condicionando o reajuste salarial anual à "comprovada disponibilidade orçamentária e financeira".

Na semana passada, o sindicato dos professores divulgou um comunidade no site da entidade dizendo que, "apoiado pela proposta nacional de reformulação do Ensino Médio (Medida Provisória 246) e pela proposta que condiciona os investimentos na educação às sobras do orçamento de cada Estado pelos próximos 20 anos (PEC 241 e PL 257), o governador Beto Richa tem encontrado respaldo para fazer o que pretendia desde o ano passado: não pagar promoções e progressões dos(as) educadores(as); tirar o reajuste anual dos(as) servidores(as) e fazer das escolas um canteiro de formação de mão-de-obra barata para a indústria e comércio".

Na quinta-feira da semana passada (6), em Cascavel, Richa afirmou que a movimentação dos professores é uma "brincadeira". Um dia depois, na inauguração de uma fábrica em Guarapuava, o tucano disse os estudantes não sabem porque protestam. "Sindicatos ligados a CUT e ao PT, que querem a baderna, usam de forma criminosa as nossas crianças das escolas, que estão nas ruas protestando não sabem nem porque, em uma perfeita doutrinação ideológica", disse.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247