Ex-secretário da prefeitura de Curitiba se entrega à polícia

Secretaria de Segurança Pública do Paraná confirmou que o advogado Marcelo Araujo, suspeito de participar de armação para extorquir dinheiro de empresários e pessoas conhecidas no estado, se entregou à polícia nesta terça-feira; Araújo e o bruxo Chik Jeitoso foram presos temporariamente pela Operação Lomax em 20 de dezembro de 2016; a dupla exigia dinheiro para que fossem retiradas de redes sociais acusações feitas a respeito de empresários, políticos e artistas de televisão

Secretaria de Segurança Pública do Paraná confirmou que o advogado Marcelo Araujo, suspeito de participar de armação para extorquir dinheiro de empresários e pessoas conhecidas no estado, se entregou à polícia nesta terça-feira; Araújo e o bruxo Chik Jeitoso foram presos temporariamente pela Operação Lomax em 20 de dezembro de 2016; a dupla exigia dinheiro para que fossem retiradas de redes sociais acusações feitas a respeito de empresários, políticos e artistas de televisão
Secretaria de Segurança Pública do Paraná confirmou que o advogado Marcelo Araujo, suspeito de participar de armação para extorquir dinheiro de empresários e pessoas conhecidas no estado, se entregou à polícia nesta terça-feira; Araújo e o bruxo Chik Jeitoso foram presos temporariamente pela Operação Lomax em 20 de dezembro de 2016; a dupla exigia dinheiro para que fossem retiradas de redes sociais acusações feitas a respeito de empresários, políticos e artistas de televisão (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - Secretaria de Segurança Pública do Paraná confirmou que o advogado Marcelo Araujo, suspeito de participar de armação para extorquir dinheiro de empresários e pessoas conhecidas no estado, se entregou à polícia nesta terça-feira (3). A prisão preventiva contra Araujo, que foi secretário municipal de Trânsito de Curitiba na gestão do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB), foi decretada em dia 28 de dezembro.

Araújo e o bruxo Chik Jeitoso foram presos temporariamente pela Operação Lomax em 20 de dezembro de 2016. Segundo as investigações, a dupla exigia dinheiro para que fossem retiradas de redes sociais acusações feitas a respeito de empresários, políticos e artistas de televisão.

Os suspeitos, segundo a polícia, chegaram a exigir R$ 5 milhões de uma das vítimas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email