Ex-tesoureiro do PP é condenado na Lava Jato

 Ex-assessor do deputado José Janene, João Cláudio Genu foi condenado nesta sexta (2) a oito anos e oito meses de prisão pela Operação Lava-Jato; ele é acusado de ter recebido pelo menos R$ 4,3 milhões em propina da Petrobras, além de quantias em dólar e em euro; Genu está preso em Curitiba; o juiz Sergio Moro afirma que há provas “acima de qualquer dúvida razoável” 

João Cláudio Genu
João Cláudio Genu (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ex-assessor do deputado José Janene e ex-tesoureiro do PP, João Cláudio Genu foi condenado nesta sexta-feira (2) a oito anos e oito meses de prisão pela Operação Lava-Jato. Ele é acusado de ter recebido pelo menos R$ 4,3 milhões em propina da Petrobras, além de quantias em dólar e em euro.

Genu, que está preso em Curitiba, também operou o esquema junto com o doleiro Alberto Youssef, após a morte de Janene — um dos líderes do PP e que detinha a indicação da diretoria de Abastecimento da estatal. O juiz Sergio Moro afirma que há provas “acima de qualquer dúvida razoável”. “João Cláudio Genu, como ele mesmo confessa, tinha pleno conhecimento das propinas pagas pelas empresas fornecedoras da Petrobras a Paulo Roberto Costa e aos agentes políticos, entre eles parlamentares federais, do Partido Progressista, mas mesmo assim concordou em intermediar pagamentos, além de receber parcela em benefício próprio”, afirmou o juiz.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email