Ex-vereador do PSD é indiciado por racismo por áudio que ataca bancada negra de Porto Alegre

Valter Nagelstein, em conversa em grupo de mensagem, disse que a nova composição da Câmara, afirmando que a bancada negra não têm qualificação profissional

(Foto: Débora Ercolani/CMPA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-vereador e candidato a prefeito de Porto Alegre, Valter Nagelstein (PSD) foi indiciado por racismo qualificado em uma investigação da Polícia Civil que apurou um áudio enviado por ele a um grupo de apoiadores.

Na mensagem, Nagelstein fala sobre a nova composição da Câmara, afirmando que os recém eleitos do PSol, “muitos deles jovens, negros”, não têm “nenhuma tradição política, nenhuma experiencia e têm pouquíssima qualificação formal”. As informações são do GauchaZH.

A bancada é formada por Karen Santos (PSol), Bruna Rodrigues (PCdoB), Daiana Santos (PCdoB), Laura Sito (PT) e Matheus Gomes (PSol).

“Os critérios que identificam a discriminação racial resultam da conjugação de dois fatores. A primeira é a motivação orientada pelo preconceito e a outra é a finalidade de submeter a vítima a situações de diferenciação quanto ao acesso e gozo de bens, serviços e oportunidades. Que é exatamente o que a gente vê aqui”, explicou Andrea Mattos, titular da Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância.

Nagelstein negou que sua fala tivesse cunho racista, e afirmou que a declaração foi uma análise do resultado da eleição, que elegeu pessoas com pouca qualificação formal.

“Reitero que é uma questão política. Não houve em nenhum momento intuito meu de praticar nenhum ato de racismo. Fiz uma avaliação em relação ao discurso que essa bancada faz e o resultado eleitoral e ponto. De novo, lamento a posição da delegada”, destacou Nagelstein.

A investigação teve início após uma notícia-crime ser enviada pela Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos, que atendeu a pedidos feitos pelo Movimento Negro Unificado e outras 40 entidades.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email