Fachin manda recado a Moro: "juízes que cometem ilícitos e devem ser punidos"

"Juiz algum tem uma Constituição para chamar de sua. Juiz algum tem a prerrogativa de fazer de seu ofício uma agenda pessoal ou ideológica. Se o fizer, há de submeter-se ao escrutínio da verificação", disse o ministro Edson Fachin em Curitiba, durante evento do TRE-PR

(Foto: Eduardo Matisyak)

247 - O ministro Edson Fachin, relator das ações da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, mandou nesta segunda-feira, 8, um recado ao ex-juiz e ministro licenciado Sérgio Moro e ao procurador Deltan Dallagnol. 

Durante discurso em evento do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), em Curitiba, Fachin disse que  juízes que cometem atos ilícitos devem ser punidos. 

"Juízes também cometem ilícitos e devem ser punidos", afirmou Fachin, seguno reportagem do UOL. "Juiz algum tem uma Constituição para chamar de sua. Juiz algum tem a prerrogativa de fazer de seu ofício uma agenda pessoal ou ideológica. Se o fizer, há de submeter-se ao escrutínio da verificação", completou o ministro, sem mencionar a operação LAva Jato ou juiz Sérgio Moro.

Segundo Fachin, o mesmo vale para integrantes do Ministério Público. Para o ministro, o órgão responsável pelas acusações em processos judiciais deve buscar punição aos que descumprem a lei, respeitando o que estabelece à Constituição e o Estado Democrático de Direito.

O ministro Edson Fachin foi citado na Vaza Jato. Em reportagem da revista Veja, em parceria com o The Intercept, o procurador Deltan Dallagnol aparece em conversa de 13 de julho de 2015, com procuradores, em que Dallagnol sai exultante de um encontro com o ministro Edson Fachin. "Caros, conversei 45 m com o Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso", diz Dallagnol (leia mais no Brasil 247).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247