Fernando 'não rouba, não faz' Baiano depõe hoje

Um dos depoimentos mais importantes da Operação Lava Jato acontece nesta sexta-feira: o do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano; seu advogado, Mario de Oliveira Filho, deu uma das mais polêmicas declarações nesse enredo, ao dizer que "não se coloca um paralelepípedo no Brasil sem pagar propina"; tido como lobista do PMDB, Baiano apavora o Congresso Nacional

Um dos depoimentos mais importantes da Operação Lava Jato acontece nesta sexta-feira: o do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano; seu advogado, Mario de Oliveira Filho, deu uma das mais polêmicas declarações nesse enredo, ao dizer que "não se coloca um paralelepípedo no Brasil sem pagar propina"; tido como lobista do PMDB, Baiano apavora o Congresso Nacional
Um dos depoimentos mais importantes da Operação Lava Jato acontece nesta sexta-feira: o do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano; seu advogado, Mario de Oliveira Filho, deu uma das mais polêmicas declarações nesse enredo, ao dizer que "não se coloca um paralelepípedo no Brasil sem pagar propina"; tido como lobista do PMDB, Baiano apavora o Congresso Nacional (Foto: Leonardo Attuch)

Paraná 247 - Um dos depoimentos mais importantes da Operação Lava Jato acontece nesta sexta-feira: o do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano; seu advogado, Mario de Oliveira Filho, deu uma das mais polêmicas declarações nesse enredo, ao dizer que "não se coloca um paralelepípedo no Brasil sem pagar propina" (saiba mais aqui); tido como lobista do PMDB, Baiano apavora o Congresso Nacional.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil:

André Richter - Enviado Especial da Agência Brasil

O empresário Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", deve prestar depoimento hoje (21) na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde está preso. Ele se entregou à PF na terça-feira (18) depois de ser considerado foragido.

Em depoimento de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef disse que o investigado arrecadava propina para o PMDB,  por meio de contratos com a Petrobras. O advogado dele, Márcio Oliveira Filho,  confirmou que o empresário tinha negócios lícitos com a Petrobras, mas negou que ele tenha qualquer ligação do partido. Em nota, a legenda repudiou a acusação.

Em relatório enviado quarta-feira (19) pelo Banco Central ao juiz federal Sérgio Moro, a instituição informou que foram bloqueados R$ 8,5 mil na conta do empresário no Citibank, e R$ 304 em outra conta, no Santander. Em entrevista na quarta-feira, o advogado Mário Oliveira Filho , disse que Fernando Soares faz  "prospecção de negócios". O representante do empresário disse ainda que não há obra sem propina no país.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247