Frente a frente com Lula, Moro enfrenta também uma multidão

O encontro marcado entre o juiz Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente começou em Curitiba; Lula, no entanto, não é apenas um réu; é também uma multidão e representa a esperança de milhões de brasileiros que querem vê-lo novamente na presidência da República e lutam pela volta da democracia no Brasil; no Brasil de hoje, com seu fórum cercado por policiais, Curitiba lembra a ditadura, assim como Brasília, onde o Congresso Nacional também foi cercado para a votação da reforma da Previdência

O encontro marcado entre o juiz Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente começou em Curitiba; Lula, no entanto, não é apenas um réu; é também uma multidão e representa a esperança de milhões de brasileiros que querem vê-lo novamente na presidência da República e lutam pela volta da democracia no Brasil; no Brasil de hoje, com seu fórum cercado por policiais, Curitiba lembra a ditadura, assim como Brasília, onde o Congresso Nacional também foi cercado para a votação da reforma da Previdência
O encontro marcado entre o juiz Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente começou em Curitiba; Lula, no entanto, não é apenas um réu; é também uma multidão e representa a esperança de milhões de brasileiros que querem vê-lo novamente na presidência da República e lutam pela volta da democracia no Brasil; no Brasil de hoje, com seu fórum cercado por policiais, Curitiba lembra a ditadura, assim como Brasília, onde o Congresso Nacional também foi cercado para a votação da reforma da Previdência (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O encontro marcado entre o juiz Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente começou em Curitiba; Lula, no entanto, não é apenas um réu.

É também uma multidão e representa a esperança de milhões de brasileiros que querem vê-lo novamente na presidência da República, como mostram todas as pesquisas de intenção de voto, e lutam pela volta da democracia no Brasil. No Brasil de hoje, com seu fórum cercado por policiais, Curitiba lembra a ditadura, assim como Brasília, onde o Congresso Nacional também foi cercado para a votação da reforma da Previdência. 

Nas redes sociais, milhares de manifestantes estão utilizando a hashtag #Lulaeuconfio para declarar apoio a Lula. O assunto foi um dos mais comentados do Twitter. 

Lula chegou à capital paranaense por volta de 11 horas da manhã e teve recepção calorosa de vários dos principais líderes políticos de oposição do País. A presidente deposta Dilma Rousseff, governadores, senadores, deputados, prefeitos, dirigentes políticos e líderes de movimentos sociais foram ao aeroporto demonstrar apoio e confiança ao ex-presidente (leia mais). 

Nas redes sociais, Dilma já havia manifestado confiança. "Já estou em Curitiba para prestar minha total solidariedade ao presidente Lula. A verdade vai prevalecer", escreveu.

"Estamos aqui para trazer não só a nossa solidariedade, mas para fazer uma verdadeira batalha pela democracia. O que está se costurando aqui é a continuidade do golpe. A burguesia, representada pela Globo, quer inviabilizar a candidatura do Lula. Para implementarem o plano neoliberal, que já está em curso, com a retirada de direitos dos trabalhadores, eles precisam de mais tempo. E eles sabem que o presidente Lula é imbatível nas urnas, sabem que o povo brasileiro não aguenta esse plano maquiavélico e golpista", afirmou Stédile, na saída do aeroporto.

A senadora petista Gleisi Hoffman também viajou ao Paraná, estado que representa no legislativo federal, para prestar solidariedade a Lula. "Acompanhar o presidente, dar solidariedade a ele, estar junto nas mobilizações e mostrar para o Brasil e o mundo a injustiça que está acontecendo aqui", afirmou.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, teceu críticas a Moro pela parcialidade na condução das acusações contra Lula. "É um juiz que tem sido parcial, por suas declarações, inclusive pela última gravada em vídeo em que pede a seus apoiadores que não venham a Curitiba. Ora, juiz não tem nem apoiador nem oponente. Juiz é juiz", disse Falcão, na manhã de hoje.

Às 18h será realizado um ato político com a presença do ex-presidente Lula. Os advogados que o acompanharão no depoimento preveem conceder entrevista coletiva no mesmo horário, no salão Milano do Restaurante Madalosso, bairro central de Santa Felicidade. (Com informações da RBA)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247