Gleisi: golpe deixou 495 mil paranaenses sem emprego

"O índice de desemprego no Paraná é o maior do sul do país, com uma taxa de 8,3%, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Rio Grande do Sul aparece na sequencia com uma taxa de desocupação de 8%, e Santa Catarina fechou 2017 com 6,3%", diz a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)

gleisi
gleisi (Foto: Leonardo Attuch)

Por Gleisi Hoffmann, em seu facebook Quase dois anos após o golpe, só no estado do Paraná já somam 495 mil pessoas sem emprego.

O índice de desemprego no Paraná é o maior do sul do país, com uma taxa de 8,3%, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Rio Grande do Sul aparece na sequencia com uma taxa de desocupação de 8%, e Santa Catarina fechou 2017 com 6,3%.

No Brasil, relatório do IBGE afirma que falta trabalho para 26,6 milhões de pessoas.

Entre 2016 e 2017, período que coincide justamente com o golpe parlamentar, o número de pessoas sem trabalho subiu de 11,5% para 12,7%, a maior da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012.

Vale recordar que Lula finalizou seu segundo mandato com uma queda de 45% na taxa desemprego. Já a classe média teve ganho, com um crescimento de 44% em oito anos.

O número de pessoas desempregadas é um reflexo nítido de quem governa hoje.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247